UM COMENTÁRIO APROFUNDADO DA LIÇÃO, PARA FAZER A DIFERENÇA!

Nossa intenção é possibilitar um aprofundamento, tópico a tópico, do conteúdo das lições da EBD, para você aprofundar sua fé e fazer a diferença.

Classe Virtual:

Sente o coração compungido em contribuir com o nosso Ministério? Faça isso de forma simples, pelo PIX: 69381925291 – Mande-me o comprovante, quero agradecer-lhe e orar por você (83) 9 8730-1186 (WhatsApp)

18 de junho de 2019

(ADULTOS) Lição 12: A NUVEM de GLÓRIA



REVISTA ADULTOS 2° TRIMESTRE 2019
Título: O Tabernáculo — Símbolos da obra redentora de Cristo
Comentarista: Elienai Cabral

-  L I Ç Ã O 12  -
9 de JUNHO de 2019

A NUVEM DE GLÓRIA

TEXTO ÁUREO
“Sê exaltado, ó Deus, sobre os céus; seja a tua glória sobre toda a terra.” (Sl 57.5)

VERDADE PRÁTICA
Adoremos e louvemos a Deus, pois a sua glória enche os Céus e a Terra.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Êxodo 40.34-38; Números 9.15,16
Êxodo 40:
34 Então, a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo,
35 de maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem ficava sobre ela, e a glória do Senhor enchia o tabernáculo.
36 Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, então, os filhos de Israel caminhavam em todas as suas jornadas.
37 Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até ao dia em que ela se levantava;
38 porquanto a nuvem do Senhor estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas.

Números 9:
15 E, no dia de levantar o tabernáculo, a nuvem cobriu o tabernáculo sobre a tenda do Testemunho; e, à tarde, estava sobre o tabernáculo como uma aparência de fogo até à manhã.
16 Assim era de contínuo: a nuvem o cobria, e, de noite, havia aparência de fogo.


INTRODUÇÃO
Êxodo 40 e Números 9 registram o cuidado de Deus com Israel. Na caminhada no deserto rumo à terra prometida, uma nuvem permanecia sobre o Tabernáculo. A imagem dessa nuvem marcou a história de Israel, pois ela cobria a “Tenda da Congregação”, enchia o Templo, enfim, um símbolo vivo de que Deus estava entre o seu povo. Anelemos por essa maravilhosa presença! [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- Deus libertou Israel da escravidão. Livre, o povo de Deus iniciou a sua jornada rumo à Terra Prometida. O percurso escolhido pelo Senhor não foi o mais fácil, porém, com certeza foi o melhor para os israelitas naquela ocasião, pois eles não estavam preparados para enfrentar o inimigo. Deus é fiel e sempre cuidou com zelo do seu povo. Ele colocou uma nuvem ou uma coluna de fogo, se fosse dia ou noite, respectivamente, para indicar o caminho a seguir e proteger seu povo. Interessante notar que a presença de Deus não ficou estagnada, mas se movia livremente de um lugar para outro, sem nenhum padrão previamente definido, parecendo-se muito com o que acontece com a Igreja do Senhor. “A nuvem surgiu, pela primeira vez, quando eles atravessavam o mar. Depois no Sinai e também quando Moisés fez uma tenda, e ali buscava a Deus; por fim, quando o Tabernáculo foi levantado. A partir de então, a presença de Deus era contínua, de maneira que, quando a nuvem se elevava acima do Tabernáculo, os filhos de Israel reiniciavam a sua jornada. Os milhões de peregrinos que estavam ao redor do Tabernáculo, nas suas respectivas tribos, entenderam perfeitamente que se tratava de uma manifestação divina. Está escrito que “Assim era de contínuo: a nuvem o cobria, e, de noite, havia aparência de fogo” (Nm 9.16). “Deus prometeu prover uma nuvem para guiar os viajantes e para lembrá-los de sua presença contínua.”  Interessante que Deus, embora nunca se apresente fisicamente, mas permaneça invisível, sempre deixa sinais de que se conserva junto do povo. Jesus disse que os discípulos não o veriam mais, entretanto assegurou: “[...] eu estou convosco todos os dias [...]” (Mt 28.20). A maravilhosa presença do Senhor traz a sensação de amparo, proteção, segurança. Dessa forma, o Senhor demonstrava a todos que cumpria a promessa de sua presença inafastável. De fato, qual o filho pequeno que não necessita que seu pai sempre esteja por perto?(Lição 4 - A Presença de Deus no Deserto - 1º Trimestre de 2019. CPAD. Disponível em: http://www.escoladominical.com.br/home/licoes-biblicas/subsidios/jovens/1327-li%C3%A7%C3%A3o-4-a-presen%C3%A7a-de-deus-no-deserto.html. Acesso em: 24 JUN, 2019), – Dito isto, convido-o a pensar maduramente a fé cristã!

I - A COLUNA DE NUVEM: A GLÓRIA DIVINA SOBRE ISRAEL (Êx 40.34)

“1. Quando “a nuvem cobriu a tenda da congregação”. A nuvem aparecia durante o dia sobre o Tabernáculo. Era a shekinah de Deus sobre o Santuário. Embora o termo não se encontre no texto original do Antigo Testamento, shekinah é uma palavra adotada pela tradição judaica. Os sábios judeus evitavam a palavra kaboth (ou kabod), que significa “glória”, por causa de sua sacralidade (cf. 1 Sm 4.21). Assim, shekinah, segundo o sentido aramaico, descreve a manifestação visível da glória de Deus.” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- Em Êxodo 40.34, quando “a nuvem cobriu... a glória do SENHOR encheu”, foi a confirmação final para Moisés e o povo de que toda a obra para o levantamento de um lugar de habitação para Deus havia sido feita devidamente e todas as tediosas instruções obedientemente seguidas. No capítulo 16.10, ao constatarem o começo da provisão de pão diário no dia seguinte, Israel também veria a glória do Senhor, termo adequado a ser usado porque o que Deus fez de fato mostrou sua presença junto ao povo. "Glória" refere-se tipicamente à manifestação da presença de Deus, o que o torna magnífico e leva à adoração. “Shekinah é uma palavra hebraica que significa a presença gloriosa de Deus, manifesta entre os homens. Normalmente a palavra shekinah está associada aos casos na Bíblia quando Deus se manifestou de forma visível. A palavra shekinah não aparece na Bíblia. A palavra shekinah foi inventada por rabinos judeus depois que a Bíblia foi escrita para significar a manifestação visível da presença gloriosa de Deus. Shekinah vem do verbo hebraico que significa “habitar”. Deus prometeu habitar entre o povo de Israel e várias vezes mostrou sua presença de forma visível:
    Na nuvem e coluna de fogo no deserto – Êxodo 13:20-22
    No monte Sinai, quando Deus deu os Dez Mandamentos – Êxodo 19:17-19
    No tabernáculo, quando os israelitas moravam no deserto – Êxodo 40:34-35
    Na dedicação do templo de Salomão – 1 Reis 8:10-12
Em todas essas situações, a revelação da presença de Deus entre as pessoas foi um acontecimento glorioso, que inspirava louvor. Por isso, shekinah muitas vezes está associada também à glória de Deus.” (RESPOSTAS).

2. A glória de sua Presença. A ideia que o povo de Israel tinha de Deus era a  de que Ele morava no Santuário. Assim, a nuvem sobre o Tabernáculo revelava que o Altíssimo encontrava-se de modo especial no Santuário. Outrora, a mesma nuvem acompanhava Israel desde Sucote (Êx 13.20-22); agora, ela se encontrava sobre o Tabernáculo. Essa nuvem é o sinal grandioso da presença do Todo-Poderoso. O Deus de Israel era o centro do culto e da adoração do seu povo. E do seu coração? Ele é Senhor?” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- O meio pelo qual Deus guiou o povo, uma coluna de nuvem e uma coluna de fogo - era uma coluna só - de dia era de nuvem e de noite de fogo (Êx 14.24); estava associada ao Anjo de Deus (Êx 14.19; 23.20-23) ou ao Anjo da presença de Deus (Is 63.8-9). Essa também era a coluna da qual o Senhor falou a Moisés (Êx 33.9-11). Há quem aponte Jesus nesta Coluna, no entanto, Êx 14.19 diz: “Então, o Anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e passou para trás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles”. deles. O Anjo do Senhor e a coluna de nuvem e de fogo passaram da vanguarda para a retaguarda, da posição de guia para a posição de proteção. O Anjo do Senhor (mensageiro de YHWH) que no contexto de Êx 3.2 revela-se como sendo o próprio Senhor falando a Moisés (confira At 7.10).

3. “Glória” no hebraico e no aramaico. A palavra “glória” é uma das mais ricas e diversas no contexto linguístico do Antigo Testamento. São encontrados pelo menos oito termos para designá-la, tanto no aramaico quanto no hebraico (Sl 113.3; Dn 2.37; 1 Cr 29.11). Quando se refere a Deus, a palavra “glória” designa o esplendor e a majestade do Todo-Poderoso entre o seu povo. A grande lição a ser apreendia, aqui, é que a aprovação divina quanto ao nosso ministério é necessária e imprescindível. No estudo da nuvem de glória, percebemos claramente que Deus deseja operar no meio do seu povo. Ele ainda confirma e promove a sua Obra!” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- O termo hebraico kavôd, literalmente significa “pesar” ou “ ser pesado”. O conceito representa a presença de Deus entre os seres humanos, que deixa uma impressão altamente significativa entre eles. É importante saber que a glória é característica intrínseca de Deus. Não é o reconhecimento, nem o louvor que Suas criaturas prestam que tornam Deus glorioso. “Portanto, todos nós, com o rosto descoberto, refletimos a glória que vem do Senhor. Essa glória vai ficando cada vez mais brilhante e vai nos tornando cada vez mais parecidos com o Senhor, que é o Espírito” (2Co 3.18). O apóstolo afirma neste texto que somos reflexo da glória de Deus, nossa existência deriva da glória majestosa do Todo-Poderoso. Deus criou os seres humanos para a Sua glória. O alvo principal do ser humano é conhecer a Deus e glorifica-Lo. A glória de Deus deve ter prioridade sobre qualquer coisa que queiramos realizar. A Bíblia diz: “quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. (1 Coríntios 10:31). Deus nos criou para reconhecer o Seu poder e majestade e viver à luz da Sua glória.

II - A SHEKINAH QUE ESTEVE PRESENTE NAS PEREGRINAÇÕES DE ISRAEL

1. A glória permanente de Deus. Havia uma promessa de Deus para a descendência de Abraão: tomar posse da terra de Canaã. Para cumprir esse objetivo, a presença de Deus permaneceu com Israel desde a saída do Egito até à entrada na terra prometida (Êx 13.20-22). Ele cumpriu sua promessa e guiou Israel pelo meio do Mar Vermelho, derrotando Faraó e seus cavaleiros. Ali, a nuvem do Senhor trouxe trevas e embaraços aos perseguidores egípcios. A nuvem conduzia Israel nas suas peregrinações, conforme o apóstolo Paulo menciona em uma de suas cartas: “Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem; e todos passaram pelo mar, e todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar” (1 Co 10.1,2).” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- “Êxodo 13.21 diz acerca do povo de Israel que Deus conduzira para fora do Egito: “Durante o dia o Senhor ia adiante deles, numa coluna de nuvem, para guiá-los no caminho, e de noite, numa coluna de fogo, para iluminá-los, e assim podiam caminhar de dia e de noite”. Essa coluna de nuvem e de fogo sinalizava a presença do próprio Deus, como podemos ler em Êxodo 14.24: “No fim da madrugada, do alto da coluna de fogo e de nuvem, o Senhor viu o exército dos egípcios e o pôs em confusão”. A Bíblia Viva traduz esse texto da forma que o encontrei em diversas traduções alemãs: “De madrugada, o Senhor olhou da nuvem para as tropas egípcias...”. Não é interessante? Deus olhou para fora da nuvem. Ele estava na nuvem, de onde olhou para os inimigos de Israel. Dali, da nuvem, Deus protegeu os israelitas e castigou os egípcios: “A coluna de nuvem também saiu da frente deles e se pôs atrás, entre os egípcios e os israelitas. A nuvem trouxe trevas para um e luz para o outro, de modo que os egípcios não puderam aproximar-se dos israelitas durante toda a noite” (Êx 14.19b-20). O próprio Deus olhava da nuvem para os egípcios, interferindo sobrenaturalmente para barrar o ataque iminente do inimigo, deixando claro que Ele lutava por Israel (v. 25). Para os leitores mais críticos, o texto bíblico sublinha: “Naquele dia o Senhor salvou Israel das mãos dos egípcios, e os israelitas viram os egípcios mortos na praia” (v. 30). Todos podiam ver e se admirar com o que Deus fizera, percebendo a forma maravilhosa com que Ele libertou Israel dos egípcios”. (CHAMADA). Quando acompanhamos a caminhada dos hebreus, do Egito a Canaã, passando pelo deserto, aprendemos como foi esta caminhada e aprendemos como é a nossa. Há semelhanças e diferenças entre as caminhadas, mas o Deus dos hebreus é o mesmo hoje.

2. A nuvem de Deus nos montes e desertos. Moisés subiu ao Monte Sinai e entrou no meio da nuvem e, ali, ficou por 40 dias e 40 noites (Êx 24.15-18). Deus falaria com ele da nuvem, de onde o legislador de Israel receberia as tábuas dos Dez Mandamentos e a revelação quanto à construção do Tabernáculo (Êx 24.15-18 cf. caps 25 - 27; 34.1-9). Enquanto o povo marchava para avançar pelo deserto, a nuvem se movia. Em cada jornada, em cada peregrinação, o Senhor era com o seu povo. Não se desespere, pois o Espírito Santo conduz a sua Igreja! Ele habita em você!” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- A visão inspiradora de pavor da nuvem da glória de Deus, a Shekinah, repousando sobre o monte e na qual Moisés desapareceu por 40 dias e noites, impressionou a todos pela singular importância desse acontecimento na história de Israel. Durante esses dias Moisés recebeu todas as instruções sobre o tabernáculo, sua mobília e adornos (caps. 25—31). O pouso da Shekinah sobre o tabernáculo quando sua construção fora terminada impressionou os israelitas pela singular importância dessa estrutura no culto de Israel a YHWH e o relacionamento dos israelitas com ele (Êx 40.34-38). No percurso dos hebreus, há uma informação que não podemos ignorar: “a coluna de nuvem não se afastava do povo de dia, nem a coluna de fogo, de noite” (Êx 13.22) Também conosco a presença de Deus conosco é garantida. O que aconteceu lá acontece aqui.

3. A nuvem se manifestou sobre o propiciatório. A Palavra de Deus revela que o propiciatório, que ficava sobre a arca da aliança, era o maior símbolo de sua presença. Ali, Deus se manifestava por meio da nuvem de sua glória (Lv 16.1,2; Nm 7.89). À luz da Santa Palavra, não podemos nos conformar com a frieza espiritual e com a indiferença com a Palavra de Deus. Ora, diferentemente daquela época, hoje podemos entrar no Lugar Santíssimo com plena liberdade no Espírito Santo, pois Este foi derramado de maneira abundante sobre o povo de Deus (At 2.1-13). Não se conforme com a frieza e a indiferença espiritual!” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- Em Levítico 16.2, ao falar da nuvem onde o SENHOR apareceria, muitos comentarista são de opinião que essa nuvem possivelmente fosse o incenso que o sumo sacerdote queimava na sua entrada anual no Santo dos Santos. Era essa a nuvem que cobria a mesa do propiciatório na arca do Testemunho, cuja tampa era o propiciatório, uma peça única feita de ouro batido, significando “lugar de expiação” e referia-se ao trono de Deus entre os querubins. Recebeu esse nome porque era onde Deus se manifestava para o propósito da expiação. Quando o tabernáculo ficou pronto, o Senhor comunicava a sua palavra a Moisés do propiciatório no Santo dos Santos (Lv 1.1; Nm 1.1).


III - ALGUMAS LIÇÕES PARA HOJE

1. A nuvem sobre o Tabernáculo não era comum. Deus usa coisas visíveis para ensinar verdades espirituais. Aquela nuvem era especial, pois não obedecia às leis da natureza criadas por Ele próprio. Tinha características de uma nuvem comum, mas não era algo comum. Ele usou a imagem de elementos físicos para manifestar a sua glória. Não perca a sensibilidade espiritual. Perceba como Deus pode e quer falar, agora, com você. Ele usa coisas comuns para manifestar a sua glória!” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- “O v. 17 diz: “Sempre que a nuvem se levantava de cima da Tenda, os israelitas partiam, e no lugar em que a nuvem descia, ali eles acampavam”. Ou seja, o povo de Deus precisava estar atento ao mover da Nuvem de Deus. A orientação de iniciar a caminhada ou parar para descansar vinha da Nuvem do Senhor. Você pode visualizar naquele deserto milhares de seres humanos avançando sem qualquer conhecimento da rota que deviam seguir? Uma multidão numerosa de homens, mulheres e crianças, viajando através num tremendo deserto arenoso, sem bússola, sem guia humano, sem um celular, sem um radinho a pilha? Mas que espetáculo! Ali estava aquela multidão avançando sem qualquer conhecimento da rota que deviam seguir, apenas dependentes de Deus, dependentes da Sua Orientação. Eles não podiam fazer planos para o dia seguinte: quando acampavam, não sabiam quando deveriam pôr-se em marcha novamente; ou quando em marcha, não sabiam onde iriam acampar! O que eles tinham que fazer? Apenas olhar para cima a fim de receber orientação de Deus. Os seus movimentos eram dirigidos pela Nuvem de Deus. Assim como este povo estava com seus olhos fixos na nuvem esperando o cuidado de Deus, você também precisa olhar para o alto e buscar a orientação de Deus. O livro de Hebreus 12.2 diz: “Tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé”. É isso que Deus quer que você faça: Assim como aquele povo dependia inteiramente do mover da orientação de Deus, ELE quer que você faça a mesma coisa! Você vai iniciar um namoro? Olhe para Jesus, receba orientação primeiro. Você vai construir? Vai trocar de carro? Vai fazer um negócio? Olhe antes para a orientação do Senhor. Nossa vida aqui é como a travessia de um deserto: desconhecido, arenoso, imprevisível. Por isso precisamos da Orientação do Senhor! JESUS em João 8.12 disse: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue, nunca andará em trevas; mas terá a luz da vida". Isto é direção! Isso é orientação divina. Você precisa dessa direção. Você não precisa ir aonde Deus não orienta: Se a nuvem não está se movendo, não se antecipe. Se Deus não está orientando suas companhias, se Deus não está orientando que você se case, se Deus não está orientando que você se mude, se Deus não está orientando a aplicação do seu dinheiro, não antecipe! Se a nuvem de Deus não está se movendo, você não precisa embarcar numa furada! Olhe para cima: Há uma nuvem no céu – Deus está lá! Ele tem a direção certa. Por isso, obedeça a Deus! Siga a nuvem!” (IBVIR)

2. A nuvem permaneceu sobre o Tabernáculo. O Altíssimo estava presente de forma especial no Tabernáculo. Veja o que o texto diz: “a glória do Senhor encheu o tabernáculo” (Êx 40.34). Aquele que é onipresente não precisa de espaço físico, porque Ele preenche todo o Universo. Não há limites geográficos para Deus. Entretanto, para se relacionar conosco Ele se manifestou num Tabernáculo, revela-se na Igreja local e mostra-se em nossa casa e, por intermédio do seu Santo Espírito, habita em nós”. [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- “a glória do Senhor encheu o tabernáculo” (Êx 40.34). Essa foi a confirmação final para Moisés e o povo de que toda a obra para o levantamento de um lugar de habitação para Deus havia sido feita devidamente e todas as tediosas instruções obedientemente seguidas. A primeira vez que a nuvem se levantou (conforme registrado em Nm 10.11) foi cinqüenta dias depois que o tabernáculo concluído fora erigido. “O v. 16 diz que: “Era assim que sempre acontecia: de dia a nuvem cobria, e de noite tinha a aparência de fogo”. O texto está afirmando que esta nuvem cobria, ou seja, servia de proteção ao povo. A Nuvem era sombra para o dia ensolarado e também era calor e luz para vencer o frio da noite. Era o cuidado de DEUS para a vida daquele povo. DEUS deu uma nuvem para protegê-los no deserto. Por isso o salmista (91.1) diz que: “Aquele que habita no abrigo do Altíssimo descansa à sombra do Todo-Poderoso”. Ou seja, DEUS guardou o povo de desfalecer ou mesmo desistir da jornada rumo à terra prometida. O mesmo Deus que os havia protegido na travessia do Mar Vermelho estava agora protegendo-os de dia e de noite. E a bíblia diz que DEUS é o mesmo de ontem, hoje e eternamente. Por isso ELE continua também em nosso tempo pronto para proteger as nossas vidas. Quando você anda sob a nuvem de Deus, você conta com a proteção de Deus! Esta é a mensagem de Deus para sua vida hoje: Quando você anda debaixo da nuvem de Deus, você conta com a proteção de Deus. Salmos 121.5-8 diz: “O Senhor é o seu protetor; como sombra que o protege, ele está à sua direita. De dia o sol não o ferirá, nem a lua, de noite. O Senhor o protegerá de todo o mal, protegerá a sua vida. O Senhor protegerá a sua saída e a sua chegada, desde agora e para sempre”. Você está sendo perturbado por alguns inimigos? Um espírito de medo ronda o seu coração? Sentimentos de culpa, de indignidade, de amargura estão presentes na sua vida? Você esta atravessando um período duro, difícil, um calor escaldante do sol? Talvez problemas que estão queimando o seu coração, tirando o couro da sua alma? Mesmo que você esteja pronto a desistir de tudo, SAIBA QUE DEUS esta noite quer projetar uma sombra sobre a sua cabeça. A nuvem do Senhor quer lhe proteção esta noite. Assim como qualquer casa precisa do telhado, você também precisa ter a benção de Deus para estar protegido do inimigo.” (IBVIR)

3. A nuvem não é estática. Deus não é inerte, estático; Ele é o Ser que gera vida em abundância (Jo 10.10). Ele se move sobre a Terra, cuida do Universo e interessa-se por sua vida, querido irmão. Ele é um Deus pessoal. Não perca a glória de Deus nem a intimidade com a sua presença. Ande com Deus. Obedeça-lhe a vontade.” [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- “A coluna de nuvens indicava as datas e demarcava os locais da singular peregrinação do povo de Israel pelo deserto, mostrando quando o povo devia parar e quando devia desmontar acampamento e seguir a jornada. Um povo estava sendo preparado. “Durante o dia o Senhor ia adiante deles, numa coluna de nuvem, para guiá-los no caminho, e de noite, numa coluna de fogo, para iluminá-los, e assim podiam caminhar de dia e de noite” (Êx 13.21; veja Nm 9.15-23). Deus conduzia e protegia Israel como um pastor faz com seu rebanho. Com o movimento da nuvem Ele treinava Seu povo nas áreas de obediência, persistência, confiança e disposição. Essa descrição da nuvem indo com eles é um pequeno aperitivo da maravilhosa presença de Deus que um dia estará sobre Seu Santo Monte Sião, quando a terra voltará a estar acoplada à dimensão divina: “o Senhor criará sobre todo o monte Sião e sobre aqueles que se reunirem ali uma nuvem de dia e um clarão de fogo de noite. A glória tudo cobrirá” (Is 4.5). Por essa razão, em Pentecostes apareceram chamas de fogo acima dos discípulos, para expressar visivelmente a presença de Deus no coração de cada salvo e Sua morada em todos os crentes (At 2.3)” (CHAMADA).


CONCLUSÃO
A glória de Deus transcende a qualquer coisa que o ser humano venha a produzir. A glória do Senhor esteve com Israel, no Antigo Testamento, com a Igreja Primitiva, em Atos, e também está em nossa vida. Experimente a presença de Deus. Jesus ainda salva, batiza com o Espírito Santo, cura os enfermos e opera sinais e maravilhas! [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]
- No começo do livro de Atos encontramos os detalhes de um evento maravilhosíssimo: “Tendo dito isso, foi elevado às alturas enquanto eles olhavam, e uma nuvem o encobriu da vista deles” (At 1.9). A tradução dessa passagem em outros idiomas diz que uma nuvem veio e O levou, encobrindo-O ao seu olhar. Portanto, o Senhor não foi subindo cada vez mais até sumir na camada de nuvens. O arrebatamento de Jesus não tem nada a ver com distância; Uma nuvem veio e O levou, como um portal que se abriu para recebê-Lo em outra dimensão. As nuvens divinas sempre aparecem quando o Céu se abre. Aí, nas nuvens, as dimensões divinas normalmente inacessíveis se abrem e se tornam acessíveis. O Arrebatamento da Igreja também envolve essas misteriosas nuvens divinas: “Depois nós, os que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre” (1Ts 4.17).

Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó Senhor Deus dos Exércitos”. (Jeremias 15.16),
Pb Francisco Barbosa
Campina Grande-PB
JUNHO de 2019

PARA REFLETIR
A respeito da lição “A Nuvem de Glória”, responda
Quais livros e capítulos registram o cuidado de Deus com Israel?
Êxodo 40 e Números 9 registram o cuidado de Deus com Israel.
O que a nuvem sobre o Tabernáculo revelava?
A nuvem sobre o Tabernáculo revelava que o Altíssimo encontrava-se de modo especial no Santuário.
O que a nuvem do Senhor trouxe aos perseguidores egípcios?
A nuvem do Senhor trouxe trevas e embaraços aos perseguidores egípcios.
Deus usa coisas visíveis para quê?
Deus usa coisas visíveis para ensinar verdades espirituais.
O que a glória de Deus transcende?
A glória de Deus transcende a qualquer coisa que o ser humano venha a produzir. [Lições Bíblicas CPAD, Revista Adultos, 2º Trimestre 2019. Lição 12, 23 JUNHO, 2019]