Classe Virtual:

Data/Hora Atualizada

10 de dezembro de 2017

Lição 12: Perseverando na Fé


LIÇÕES BÍBLICAS CPAD ADULTOS
4º Trimestre de 2017
Título. A Obra da Salvação. Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida
Comentarista. Pr. Claiton Ivan Pommerening
Material de apoio gratuito aos professores e alunos de escola dominical que utilizam as revistas da CPAD


Lição 12
17 de Dezembro de 2017

Perseverando na Fé

Texto Áureo

Verdade Prática
"A que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono." (Ap 3.21)

A vida cristã exige perseverança, coragem e determinação. Há uma gloriosa promessa para quem perseverar até o fim.
. Paulo ainda diz que nós somos co-herdeiros de Cristo. Se quando Paulo escrevia aos gentios (Romanos) o seu conceito de filiação fosse o judaico, temos que considerar que no mesmo texto (v 29), Paulo diz que Jesus é o Primogênito entre muitos irmãos, e segundo a lei judaica o primogênito tem direito a uma porção dobrada da herança, Jesus teria esse direito, mas Paulo diz que nós somos co-herdeiros de Jesus, herdeiros com o mesmo direito de Jesus, do mesmo nível, ou seja, temos o mesmo direito do Primogênito. Ser filho com o mesmo direito do Primogênito já é quase inacreditável, e ter o mesmo direito do Primogênito mesmo sendo filho por adoção é ainda mais extraordinário!4. Leia Cânticos 2:16; 6:3; 7:101.
1. Alan Corrêa; ‘Herdeiros e co-herdeiros - Romanos 8’. Dispnível em. http://leidosentidocomum.blogspot.com.br/2010/12/herdeiros-e-co-herdeiros-romanos-8.html. Acesso em. 3 dez, 2017.

Leitura Diária
Segunda - Gl 6.9,10: Perseverando em fazer o bem
Terça - Tg 1.2-4: Quando a perseverança amadurece a nossa caminhada de fé
Quarta - Fp 3.13,14: Mantendo os olhos fixos em Cristo Jesus

Quinta - Mc 13.13: A promessa para quem perseverar até o fim
Sexta – Ap 3.11: Guardando o que tem para ninguém roubar a nossa coroa
Sábado - 2 Ts 2.16,17: Consolando o coração durante a caminhada da fé

Leitura Bíblica em Classe
2 Timóteo 4.6-8
6 Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo.
7 Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

8 Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.

HINOS SUGERIDOS. 25, 320, 539 da Harpa Cristã

Objetivo Geral
Mostrar que a vida cristã exige perseverança, coragem e determinação.

Objetivos Específicos
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

   I- Explicar que é preciso perseverar na fé cristã;
  II- Mostrar o perigo da apostasia;
 III- Compreender que em Cristo estamos seguros.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
A Bíblia nos revela a salvação em Cristo e a confirmação desse bem precioso por intermédio da testificação do Espírito Santo (Rm 8.16). A consequência dessa realidade espiritual é desfrutarmos de uma imensa alegria que só os salvos podem obter enquanto peregrinam como testemunhas de Cristo nesta vida. Entretanto, convém alertar que as Escrituras mostram a possibilidade de se perder a salvação em casos de apostasia da fé em Cristo. Por isso, o crente deve perseverar na fé. [Comentário. Interessante o colocado nesta introdução a respeito da possibilidade de se perder a salvação em casos de apostasia da fé em Cristo; aqui trataremos do tema: "segurança da salvação". Existem claras divergências entre os cristãos quando o assunto é a possibilidade ou não de se perder a salvação. Ao longo do tempo, desenvolveu-se uma teologia ampla desse assunto nos movimentos que surgiram durante e depois da Reforma Protestante. Atualmente, temos um vasto conteúdo teológico falando sobre a segurança da salvação. A visão pentecostal clássica acerca do assunto é que a possibilidade da perda da salvação é real para todos os salvos. Segundo o Pr. Raimundo de Oliveira, "Um maiores argumentos bíblicos, segundo o qual o crente pode perder a salvação, é a frequente menção do condicional "se", com respeito à salvação."; "O escritor da epístola aos Hebreus advertiu que é possível deixar o coração encher-se de descrença, ao ponto de perder a salvação: 'Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer um de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo'."; "Há uma exortação severa de João, que não deixa dúvida alguma quanto à possibilidade de alguém perder a salvação: 'O vencedor, de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte.' 'Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa'."2. Boa leitura! Vamos pensar maduramente a fé cristã?]
2. OLIVEIRA, Raimundo de. As grandes doutrinas da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2013.
PONTO CENTRAL
Em caso de apostasia da fé em Cristo existe a possibilidade de se perder a salvação.

l - A PERSEVERANÇA BÍBLICA

1. Conceito bíblico de perseverança. Perseverar remonta a ideia de permanecer, resistir, em nosso caso, não desistir da fé cristã em tempos de tentação, aflição, angústia, provação e perseguição. Nosso desafio, mesmo vivendo tais dificuldades, é o de mantermo-nos inflexíveis e firmes na fé em Cristo, esperando pacientemente nEle em tudo. É uma capacidade divina para resistir ao dia mau (Ef 6.13). [Comentário. perseverança é uma qualidade daquele que persiste, que tem constância nas suas ações e não desiste diante das dificuldades. Perseverar é conquistar seus objetivos devido ao fato de manter-se firme e fiel a seus ideias e propósitos. Como por exemplo na frase "com talento e perseverança ele conquistou o cargo que sonhava desde criança". Um sinônimo para perseverança é persistência, assim como tenacidade e constância. A perseverança é uma qualidade que aparece frequentemente ligada à fé. Mais de um versículo bíblico fala nesta qualidade do fiel, e está ligado à evangelização e à prática da fé cristã, em que se acredita que ter perseverança é a qualidade de seguir Jesus mesmo diante das dificuldades e/ou tentações, e sempre fazer o bem3.]
3. Significado de Perseverança. Extraído de: https://www.significados.com.br/perseveranca/. Acesso em: 10 dez, 2017.

Lição 12: Perseverando na Fé ( Pr. Cleverson Barros, AD Londrina-PR)

Lição 12: Perseverando na Fé (Pr Caramuru)

9 de dezembro de 2017

Lição 11: Adotados por Deus



LIÇÕES BÍBLICAS CPAD ADULTOS
4º Trimestre de 2017
Título. A Obra da Salvação. Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida
Comentarista. Pr. Claiton Ivan Pommerening
Material de apoio gratuito aos professores e alunos de escola dominical que utilizam as revistas da CPAD


Lição 11
10 de Dezembro de 2017

Adotados por Deus

Texto Áureo

Verdade Prática
"Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos. Aba, Pai." (Rm 8.15)

A obra de salvação de Jesus Cristo nos possibilitou ser adotados como filhos amados de Deus.
.
Leitura Diária
Segunda – 1Jo 3.1. Filhos de Deus mediante o seu grande amor
Terça – Jo 1.12,13. Uma relação de pai e filho mediante o amor de Deus
Quarta – Rm 8.16. O testemunho do Espírito Santo quanto à nossa filiação divina

Quinta – Gl 3.26,27. Filhos de Deus revestidos de Cristo
Sexta – Os 1.10. Verdadeiros e autênticos filhos de Deus
Sábado – Mt 5.9. Os que anunciam e vivem a paz serão chamados filhos de Deus

Leitura Bíblica em Classe
Romanos 8.12-17
12 De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne.
13 Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.
14 Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.
15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em

temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos. Aba, Pai.
16 O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
17 E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo. se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

HINOS SUGERIDOS. 292,308,445 da Harpa Cristã

Objetivo Geral
Explicar que a obra de salvação de Jesus Cristo nos possibilitou sermos adotados como filhos de Deus.

Objetivos Específicos
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I- Apresentar o conceito bíblico de adoção;
II- Explicar a adoção no tempo presente;
III- Compreender a adoção plena no futuro.


COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
A adoção espiritual é uma bênção proveniente da obra salvífica de Cristo Jesus. Isso significa que deixamos a condição de criaturas, servos e servas do pecado, para viver a condição de filhos libertos que desfrutam dos privilégios da obra de salvação. Embora usufruamos das inumeráveis bênçãos dessa condição atualmente, temos a esperança de, num futuro bem próximo, desfrutarmos da adoção plena e gloriosa nos céus. [Comentário. Podemos entender adoção como outorga de posição (direitos, privilégios, honras) de filho de Deus; é outorgar filiação (colocar na posição de Filho de Deus; adotar para dentro da família de Deus os homens que já foram feitos filhos de Deus). O termo grego "Huiothesia" ("filho" + "posicionamento como") ocorre 5 vezes no Novo Testamento (Rm 9.4; Rm 8.23; Rm 8.15; Gl 4.4-6; Ef 1.5). A ordem lógica (não cronológica, pois são simultâneas) é. Regeneração - Adoção. - Regeneração dá a natureza de filho de Deus, adoção dá a posição. "Regeneração tem a ver com nossa mudança de natureza; justificação, com nossa mudança de situação [ante a lei]; santificação, com nossa mudança de caráter; adoção, com mudança em nossa posição (de ser rejeitado, como inimigo, para ser amado, como filho)". "Na regeneração recebemos uma nova vida; na justificação, uma nova situação [ante a lei]; na adoção, uma nova posição [ou família]" (Thiessen). Vamos pensar maduramente a fé cristã?]

PONTO CENTRAL
A nossa filiação divina é uma bênção proveniente da obra salvífica de Cristo Jesus.

I - O CONCEITO BÍBLICO DE ADOÇÃO

1. Conceito bíblico e teológico. No sentido bíblico, o ser humano caído em pecado é uma criatura e não filho de Deus. Para se tornar filho de Deus é preciso crer no sacrifício vicário de Cristo para então ser recebido pelo Pai como filho por adoção (Jo 1.12; Cl 4.5). Assim, é possível fazer parte da família de Deus, desfrutando de uma relação terna e amorosa cuja expressão mais peculiar para descrevê-la é Aba (paizinho). Pai (Gl 4.6). É um privilégio ser membro de uma família em que todos passam a chamar e a considerar uns aos outros, irmãos em Cristo (l Ts 2.14). Toda essa bênção só é possível porque fomos feitos "filhos de adoção por Jesus Cristo" (Ef 1.5). [Comentário. O léxico de Vine quer dizer: “O lugar e a condição dum filho dado alguém a quem naturalmente não pertence.” Já no léxico grego do Louw e Nida diz: “Declara formalmente e legalmente alguém que ná o seu próprio filho é doravante ser tratado e cuidado como se fosse o seu próprio filho, incluindo todos os direitos de herança. A palavra huiothesia literalmente significa “considerar como um filho”. Na cultura Romana o(a) filho(a) adotado(a) mudava de família, de nome, de casa e de responsabilidades1. A Bíblia é bem clara que todas as pessoas são criação de Deus (Colossenses 1.16), mas que apenas aqueles nascidos de novo são filhos de Deus (João 1.12; João 11.52; Romanos 8.16; 1 João 3.1-10). As Escrituras nunca chamam os que não são salvos de filhos de Deus. Efésios 2.3 nos diz o seguinte sobre nossas vidas antes de sermos salvos. “Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.” Ao invés de nascermos como filhos de Deus, nascemos em pecado, o qual nos separa de Deus e nos alinha com Satanás como inimigos de Deus (Tiago 4.4; 1 João 3.8). Jesus disse. “Se Deus fosse, de fato, vosso pai, certamente, me havíeis de amar; porque eu vim de Deus e aqui estou; pois não vim de mim mesmo, mas ele me enviou” (João 8.42). Alguns versículos depois, em João 8.44, Jesus disse ao fariseus. “Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos.” O fato de que aqueles que não são salvos não são filhos de Deus também é visto em 1 João 3.10. “Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo. todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão.”2.]
1. Gabriel Félix. ‘Adotados pelo Pai!’; Disponível em: https://estudos.gospelmais.com.br/adotados-pelo-pai.html. Acesso em 2 dez, 2017.

2. "Somos todos filhos de Deus, ou apenas os Cristãos?". Disponível. https.//www.gotquestions.org/Portugues/filhos-Deus.html. Acesso em. 2 dez, 2017.

2. Benefícios da adoção. Fazer parte de uma família, e nesse caso da família de Deus (Ef 2.19), traz inúmeros benefícios. segurança, confiança e sentido de pertencimento a uma casa eterna. Este termo lembra um lugar de refúgio, paz e descanso. Nesse sentido, num mundo conturbado em que vivemos, encontrar a casa do Pai é um grande alívio e um antídoto contra as perturbações, angústias e aflições nos dias atuais. Além disso, a adoção divina nos tira o senso de inferioridade que o pecado carrega, nos coloca num lugar elevado, tirando-nos "da potestade das trevas" e transportando-nos "para o Reino do Filho do seu amor" (Cl 1.13). [Comentário. Tornamo-nos filhos de Deus quando somos salvos porque somos adotados à família de Deus através do relacionamento com Jesus Cristo (Gálatas 4.5-6; Efésios 1.5). Podemos ver isso claramente em versículos como Romanos 8.14-17: “Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, {Aba; no original, Pai} Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados.” Aqueles que são salvos são “filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus” (Gálatas 3:26) porque Deus “nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade” (Efésios 1.5)3. Resultados da adoção:
- Libertação da escravidão da lei (Rm 8.15; Gl 4.3-5);
- Recebimento do penhor da herança (o penhor é o próprio Espírito Santo)( Gl 4.6-7; Ef 1.11-14). Este penhor é o primeiro pagamento (da mesma qualidade e garantidor) da total herança que receberemos no Arrebatamento;
- Testemunho do Espírito, segurança (Rm 8.15-16; Gl 4.6);
- Comunhão com o Pai. Comunhão envolve: espírito filial em relação ao Pai (Rm 8.15; Gl 4.6); andar no Espírito (Rm 8.14; Gl 5.18); crescente conformidade à imagem do Filho de Deus (Rm 8.29);
- No futuro, após a glorificação do corpo, ser plenamente manifestado como filho (Rm 8.19).]
3. IBDEM 2.
3. Herdeiros da promessa. O Espírito Santo testifica ao nosso coração que somos filhos de Deus (Rm 8.16). Somos filhos porque fomos adotados pelo Pai, passamos a fazer parte de sua família e a desfrutar do privilégio de sermos os seus herdeiros (Tt 3.7; Rm 8.17). Por meio da adoção divina, deixamos de ser escravos, sem herança nem direito, para nos tornarmos filhos portadores de todos os privilégios da casa do Pai (Gl 4.7). Logo, temos uma herança incorruptível, incontaminável e imarcescível que está reservada nos céus para nós (1Pe 1.4). [Comentário. Somos filhos de Deus, mas não somos filhos como Jesus, pois somos filhos por adoção, e sendo por adoção não temos a mesma essência, mas Paulo diz que apesar de sermos filhos por adoção nós temos direito a herança. Somos herdeiros de Deus, para o comentarista Adam Clarke, Paulo quando diz que somos herdeiros de Deus, não está nos apontando Deus como possuidor da herança mas sim como a própria herança, que no caso é Deus, a nossa herança não é uma parte da terra, nem uma porção celeste, mas a nossa herança é Ele, Ele é a nossa porção, o próprio Deus é a nossa parte. Nós estamos acostumados com Salmo 23 na versão em português que diz ”O Senhor é meu Pastor e nada me faltara” mas existe uma tradução em inglês que traduz como “O Senhor é o meus Pastor e Ele não me faltara” o maior bem é o Senhor, Ele é a nossa herança e Ele não nos faltara. Mas Paulo ainda diz que nós somos co-herdeiros de Cristo. Se quando Paulo escrevia aos gentios (Romanos) o seu conceito de filiação fosse o judaico, temos que considerar que no mesmo texto (v 29), Paulo diz que Jesus é o Primogênito entre muitos irmãos, e segundo a lei judaica o primogênito tem direito a uma porção dobrada da herança, Jesus teria esse direito, mas Paulo diz que nós somos co-herdeiros de Jesus, herdeiros com o mesmo direito de Jesus, do mesmo nível, ou seja, temos o mesmo direito do Primogênito. Ser filho com o mesmo direito do Primogênito já é quase inacreditável, e ter o mesmo direito do Primogênito mesmo sendo filho por adoção é ainda mais extraordinário!4. Leia Cânticos 2:16; 6:3; 7:10.]
4. Alan Corrêa; ‘Herdeiros e co-herdeiros - Romanos 8’. Dispnível em. http://leidosentidocomum.blogspot.com.br/2010/12/herdeiros-e-co-herdeiros-romanos-8.html. Acesso em. 3 dez, 2017.

SÍNTESE DO TÓPICO I
A fé no sacrifício vicário de Jesus Cristo nos faz filhos de Deus.



lI- A ADOÇÃO NO TEMPO PRESENTE

1. Parecidos com o Pai. O apóstolo João afirma que há uma esperança dos que são chamados filhos de Deus (1 Jo 3.3). "Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos" (1Jo 3.2). Aguardamos solenemente por esse dia. Entretanto, portamos a imagem de Deus hoje (Gn 1.26) e, uma vez em Cristo, essa imagem é potencializada pela manifestação do amor de Deus em nós (Ef 5.1,2; Jo 14.21), porque Deus é amor (1Jo 4.8). Quem é filho de Deus tem o "DNA" do Pai impregnado nele. Em Cristo, somos filhos do mesmo Pai (Is 64.8; Jo 14.20) e, por isso, temos a garantia da filiação eterna para sermos livres da condenação do pecado. [Comentário. Como já visto no tópico I, a filiação, por meio da adoção é um dom, porque é pela graça, e um privilégio porque é uma benignidade especial, que não é concedida a todos e cada um da humanidade. Para que haja a real posse da herança por parte do herdeiro é necessário que haja a morte do testador. Nos tornamos os herdeiros legítimos de Deus por causa da morte do Testador, Jesus Cristo, que é também o Mediador do Novo Testamento, em Seu sangue  (1Pd 3.18)5. Tornar-se mais semelhante a Cristo é o desejo de todo crente, e é encorajador saber que Deus tem o mesmo desejo para nós. Na verdade, a Bíblia diz que Deus "também os predestinou [crentes] para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos" (Romanos 8.29). Tornar-nos semelhantes a Cristo é a obra de Deus, e Ele garante o seu cumprimento (Filipenses 1.6). No entanto, o fato de que Deus vai nos transformar na semelhança de Cristo não significa que possamos sentar e esperar sermos levados ao céu em uma "cama de rosas." O processo exige a nossa cooperação voluntária com o Espírito Santo. Tornar-se mais semelhante a Cristo exige tanto o poder divino quanto o cumprimento da responsabilidade humana. Há três coisas que contribuem para sermos mais semelhantes a Cristo: a nossa entrega a Deus, a nossa libertação do pecado e o nosso crescimento espiritual6. Leia mais aqui.]
5. William Teixeira. ‘Herdeiros de Deus’. Disponível em: http://www.oestandartedecristo.com/ebook/435/herdeiros-de-deus-por-william-teixeira. Acesso em: 3 dez, 2017.

6. Como posso me tornar mais semelhante a Cristo? Disponível em: https://www.gotquestions.org/Portugues/tornar-se-mais-semelhante-Cristo.html. Acesso em: 3 dez, 2017.

2. Ser amado pelo Pai. O processo de adoção pelo qual passamos ao aceitar a obra de salvação de Cristo é a prova do grande amor de Deus por nós, os seus filhos (1Jo 3.1). Assim, a culpa do pecado, as angústias do medo da perdição eterna e a escravidão do pecado não nos afrontam mais, pois em Cristo, não há mais condenação (Rm 8.1). Aqui, podemos compreender exatamente o que o apóstolo João quis dizer, quando maravilhado, afirmou. "nós o amamos porque ele nos amou primeiro" (1Jo 4.19). [Comentário. O Príncipe dos Pregadores Charles Haddon Spurgeon , escreve: “No planeta não existe luz, a não ser aquela que vem do sol; e no coração não existe amor verdadeiro por Jesus, a não ser aquele que vem do próprio Senhor Jesus. Todo nosso amor por Deus precisa brotar da fonte transbordante do Seu infinitivo amor. Esta deve sempre ser uma verdade clara e sublime: que nós O amamos por nenhuma outra razão além da que Ele nos amou primeiro. Nosso amor por Ele é a “conseqüência justa” de Seu amor por nós. Quando alguém estuda os feitos de Deus pode sentir uma fria admiração, no entanto, o calor do amor só pode arder no coração pelo Espírito de Deus. Que grande maravilha que, dessa forma, sempre seremos absolutamente constrangidos a amar Jesus! Que maravilha que, depois de termos nos rebelado contra Ele, ao revelar esse amor surpreendente, Ele procurasse nos receber de volta. Não! Jamais teríamos um grão de amor por Deus a menos que isso tivesse sido implantado em nós pela delicada semente de Seu amor. O amor, então, tem como pai o amor de Deus derramado no coração: mas, depois de nascer divinamente, ele precisa ser divinamente nutrido. O amor é exótico; não é uma planta que florescerá naturalmente em solo humano, ele precisa ser regado de cima. O amor a Jesus é uma flor de natureza delicada, e se ele não recebesse nenhuma nutrição, exceto aquela que pode ser extraída da rocha de nossos corações, ele rapidamente murcharia. Assim como o amor vem do céu, assim também precisa ser a<<7]
7. SPURGEON, Charles Haddon; ‘Ele nos amou primeiro’, traduzido por: Mariza Regina Souza. Disponível em: http://www.monergismo.com/textos/chspurgeon/spurgeon_11junho_mat.htm. Acesso em: 3 dez, 2017.

3. Os direitos e os deveres na adoção. Por intermédio da adoção espiritual, os filhos de Deus têm alguns direitos espirituais. foram legitimamente enxertados na Boa Oliveira, que é Cristo (Rm 11.17); passarão a ter um novo nome (Ap 2.17); passaram a fazer parte de uma nova família (Ef 2.19); foram emancipados da lei que gera morte (Gl 3.25); todos os povos e raças, desde que tenham aceitado a Cristo, tornam-se filhos de Deus sem distinção (Gl 3.28). Mas da mesma forma que temos direitos, também temos deveres espirituais. apartar-se do mundo e do que é imundo (2 Co 6.17,18; Ap 21.7); praticar a justiça e amar o irmão (1Jo 3.10); buscar a perfeição do Pai (Mt 5-48); amar os inimigos, bendizer os que maldizem, fazer o bem aos que nos odeiam e orar pelos que nos maltratam e perseguem (Mt 5.44); e glorificar a Deus por meio de todos esses deveres espirituais (Mt 5.16). [Comentário. Ser adotado traz vários privilégios. Por meio desta obra de Deus a nosso favor, recebemos o Espírito de adoção (Rm 8.15), isto é, uma nova mentalidade é colocada em nós, não mais de escravo, mas de filho. Este é o espírito de adoção. Podemos encontrar intimidade e aconchego, chamando o Deus Todo Poderoso de "Paizinho" (Abba Pai) (Rm 8.15; Gl 4.6). Por meio da adoção, nos é dado acesso direto à presença do Pai (Gl 4.7) e ainda recebemos herança na família de Deus (Rm 8.17). Além disto, João afirma que "Ainda não se manifestou o que havemos de ser" (1 Jo 3.2). Isto é, o que sabemos já é grandioso, mas existe muita coisa  maravilhosa que ainda não nos é dado conhecer. Ser filho, também traz responsabilidades, duas delas são significativas:
A.        A responsabilidade de viver no status de filho. Temos que viver como família de Deus. Por isto Jesus afirmou: "Sede perfeitos como perfeito é vosso Pai" (Mt 5.48). Somos convidados a viver este novo estilo de vida. "Como filhos da obediência não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente" (1 Pe 1.14).
B.        Compromisso com o funcionamento da nova família -"Vivei de modo digno da vocação a que fostes chamados" (Ef  4.1)8]
8. Série: O Poder do Evangelho; Sermão 8; Filhos ou órfãos (Rm 8.14-17; Gl 3.26-4.7). Disponível em: ipbanapolis.org. Acesso em 3 dez, 2017.

SÍNTESE DO TÓPICO II
Mediante a adoção, hoje somos filhos de Deus.


III - A ADOÇÃO PLENA NO FUTURO

1. Filhos eternos. Embora desfrutemos, aqui na Terra, dos benefícios da adoção espiritual, a alegria plena dessa realidade se dará somente quando da manifestação plena e literal de Jesus Cristo, na ocasião da sua gloriosa vinda. Quando essa gloriosa realidade celestial ocorrer, então, teremos acesso à "incorruptível coroa de glória" prometida pelas Escrituras Sagradas (1Pe 5.4). É verdade que há uma Luta interna nos filhos de Deus quanto a essa esperança, conforme escreve o apóstolo Paulo. "nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo." (Rm 8.23). Mas prevalece a esperança de que, no céu, a nossa redenção será completa, perfeita e plena, em que o que é mortal será absorvido pela vida (2 Co 5.4). Um dia, assim como Cristo foi glorificado, nós o seremos. Uma realidade que não se pode comparar com as aflições deste mundo (Rm 8.18). Bendita esperança! [Comentário. No arrebatamento nosso corpo será transformado à semelhança de Cristo Jesus, nosso referencial e alvo (Ef 4.13; 1Co 15.54; 2Co 3.18;  2 Pd 3.18; 1 Pd 5.4; 1Co 9.25).  O relacionamento filial do crente com Deus independe do tempo. Não é uma esperança futura, mas um usufruto presente. Quanto a isto escreve o apóstolo João: "Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havemos de vê-lo como ele é" (1 Jo 3.2). Um dos privilégios que goza o filho de Deus diz respeito à estreita comunhão que ele goza com o seu Pai celestial. Contrastando o relacionamento amoroso e filial que o crente goza com Deus, com a atitude de um escravo que treme de medo diante do seu senhor, escreve o apóstolo Paulo: "Porque não recebestes o espírito da escravidão para viverdes outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai" (Rm 8.15). A Bíblia ensina o crente a temer a Deus, mas numa atitude de respeito e reverência, e não de angústia e de medo. O Espírito de Cristo libertou o crente do medo servil de ser castigado ou rejeitado por causa do menor erro que pudesse desagradar a seu Senhor. O crente deve saber que é filho e não mero empregado de Deus. Como filho de Deus o crente deverá obedecer-lhe; (Mt 5.16; Fp 2.15; 2 Co 6.17.18), sujeitar-se à orientação e disciplina do seu Pai; (Rm 8.14,16; Hb 12.5,6,12,13) ir à presença do Pai livre e desimpedidamente, tantas vezes deseje (Ef 2.18; Mt 6.31,32; Fp 4.19).9]

2. Esperando a adoção completa. Embora estejamos adotados na família de Deus (1Jo 3.1), só conheceremos a plenitude do que realmente isso significa quando o Senhor nos ressuscitar dentre os mortos (1Ts 4.17). Então, receberemos a herança completa do Pai Celestial e viveremos eternamente em sua maravilhosa presença. [Comentário. Por isso, o mundo não nos conhece, porque não conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque como é o veremos. E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro (1Jo 3.1-3). Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar; seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos (1 Jo 3.2). ... nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber; a redenção do nosso corpo (Rm 8.23). E isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé (Rm 13.11).]

3. A casa do pai. Uma vez filhos de Deus, somos peregrinos em terra estranha (l Pé 2.11), por isso experimentamos os infortúnios e as dores do tempo presente (Rm 8.22,23). "Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo" (Fp 3-20). Ansiamos pelo momento em que adentraremos à casa do Pai Eterno, e habitaremos com Ele eternamente. Ali, nossa relação com o Pai não se dará provisoriamente, mas num tempo ininterrupto, em que estaremos para sempre diante de sua santa presença (Ap 22.3-5). [Comentário. Mediante a adoção divina, o crente não somente é elevado à oposição de participante da aristocracia do Céu, como também torna-se herdeiro do maior patrimônio do Universo: “... somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo" (Rm 8.17). Em contraste com as heranças terrestres que são entregues ao herdeiro só quando o pai morre, o crente recebe a sua herança em abundante vida. Além da herança recebida aqui como usufruto e antegozo, dentre outras coisas, Deus nos assegura: "um reino de glória... uma pátria melhor, uma cidade... uma coroa de glória. uma coroa de vida, uma coroa de justiça... eterno peso de glória... verão a sua face... reinarão para sempre e sempre... para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros, que sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para salvação preparada para revelar-se no último tempo" (1 Pd 1.4,5). São as imensuráveis riquezas de Cristo, o nosso "irmão mais velho", que nos fazem abundantemente ricos também. "Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que pela sua pobreza vos tornásseis ricos" (2 Co 8.9)10.]
10. IBDEM 9.

SÍNTESE DO TÓPICO III
Como filhos de Deus desfrutaremos de uma alegria plena na ocasião da gloriosa vinda de Jesus Cristo.

CONCLUSÃO
A doutrina da adoção nos mostra que somos filhos de Deus e que um dia fomos aceitos por Ele por causa do seu grande amor. Foi a obra de Cristo na cruz que tornou esse processo de adoção possível. Agora, nos tornamos herdeiros de todas as coisas juntamente com Cristo Jesus. Firmados na doutrina gloriosa da adoção, podemos nos sentir amados e cuidados por Deus, em Cristo Jesus, pois somos objetos do seu inefável amor. [Comentário. Portanto, enquanto não chegar o grande Dia em que nos alegraremos perante a face e na presença do Noivo de nossas almas — O qual um dia teve Seu coração traspassado pelas nossas transgressões, e morreu, e foi sepultado, mas ressuscitou triunfante! Deus eterno, Aquele que tem, Ele só, a imortalidade — vivamos aqui nEle, que nos coroou de graça e amor agora, e nos coroará de glória no porvir, pois nada senão o bem ficará apegado a nós, o pecado será aniquilado, as lágrimas enxugadas, o dia eterno raiará e estaremos para sempre com o Senhor”. “E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados” (Rm 8.17). Glória a Deus! Glória ao Cordeiro de Deus! Quão formosa é a nossa Herança, somente a eternidade desvelará!11] “... corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus ...” (Hebreus 12.1-2),
11. IBDEM 5.

Francisco Barbosa
Campina Grande-PB
Dezembro de 2017

PARA REFLETIR

A respeito de adotados por Deus, responda.

• O que é necessário para que o ser humano se torne filho de Deus?
Para se tornar filho de Deus é preciso crer no sacrifício vicário de Cristo para então ser recebido pelo Pai como filho por adoção (Jo 1.12; Gl 4.5).
• Quais são os benefícios da adoção?
Fazer parte de uma família, e nesse caso da família de Deus (Ef 2.19), traz inúmeros benefícios. segurança, confiança e sentido de pertencimento a uma casa eterna.
• Cite alguns deveres que aqueles que são filhos de Deus devem ter.
Da mesma forma que temos direitos, também temos deveres espirituais. apartar-se do mundo e do que é imundo (2 Co 6.17,18; Ap 21.7); praticar a justiça e amar o irmão (l Jo 3.10); buscar a perfeição do Pai (Mt 5.48); amar os inimigos, bendizer os que maldizem, fazer o bem aos que nos odeiam e orar pelos que nos maltratam e perseguem (Mt 5.44); e glorificar a Deus por meio de todos esses deveres espirituais (Mt 5.16).
• Segundo a lição, já experimentamos plenamente a condição de ser filhos de Deus?
Embora desfrutemos, aqui na Terra, dos benefícios da adoção espiritual, a alegria plena dessa realidade se dará somente quando da manifestação plena e literal de Jesus Cristo, na ocasião da sua gloriosa vinda.
• Qual é a principal esperança dos filhos de Deus?
Ansiamos pelo momento em que adentraremos à casa do Pai Eterno, e habitaremos com Ele eternamente. Ali, nossa relação com o Pai não se dará provisoriamente, mas num tempo ininterrupto, em que estaremos para sempre diante de sua santa presença (Ap 22.3-5).
Fonte do conteúdo da lição. https.//sub-ebd.blogspot.com.br/2017/08/licao-11-adotados-por-deus.html. Acesso em. 2 nov, 2017.