Classe Virtual:

Data/Hora Atualizada

28 de novembro de 2017

Lição 10: O Processo da Salvação


LIÇÕES BÍBLICAS CPAD ADULTOS
4º Trimestre de 2017
Título: A Obra da Salvação: Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida
Comentarista: Pr. Claiton Ivan Pommerening
Material de apoio gratuito aos professores e alunos de escola dominical que utilizam as revistas da CPAD


Lição 10
3 de Dezembro de 2017

O Processo da Salvação

Texto Áureo

Verdade Prática
"Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espirito não pode entrar no Reino de Deus." (Jo 3.5)

O processo bíblico de salvação se dá por meio da justificação, regeneração e santificação do ser humano.
.
Leitura Diária
Segunda Jo 1.12,13
A experiência do Novo Nascimento espiritual
Terça 2Co 5.17
O Novo Nascimento torna o homem uma nova criação
Quarta 1Jo 3.1,2
Quem nasce de novo verá a glória de Deus

Quinta 1Pe 1.23
Fomos regenerados pela Palavra de Deus
Sexta Rm 6.11
Novo Nascimento: mortos para o pecado e vivos para Deus
Sábado Cl 3.9
Despindo-se da prática do pecado

Leitura Bíblica em Classe
João 3.1-7.
1 E HAVIA entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2 Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3 Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

4 Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5 Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
6 O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7 Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.

HINOS SUGERIDOS: 15,111,177 da Harpa Cristã

Objetivo Geral
Explicar que o processo da salvação se dá mediante a justificação, regeneração e santificação.

Objetivos Específicos
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I-   Mostrara natureza da justificação divina;
II-  Explicar o que é a regeneração pelo Espírito Santo;
III- Compreender que somos santificados em Cristo.


COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
O processo de salvação na vida do crente se dá em três aspectos: na justificação outorgada por Deus; na regeneração operada pelo Espírito Santo; na santificação como consequência de uma vida com Cristo. Todo esse processo é alcançado pela fé na crucificação, morte e ressurreição de Cristo Jesus, nosso Senhor. [Comentário: A doutrina bíblica da “salvação” (Gr. sotēria) refere-se à ampla gama da atividade de Deus em salvar pessoas da rebelião e restaurá-las para que tenham um relacionamento bom e correto com ele. Devido a este sentido amplo, o termo “salvação” e o verbo “salvar” são usados na Bíblia com sentido de passado, presente e futuro1. Assim, estudaremos a respeito dos três aspectos da salvação: justificação, regeneração e santificação. É um erro comum entre muitos pensar sobre a salvação somente em termos da experiência de fé. Mas a Palavra de Deus nunca limita a salvação a um tempo, a um lugar ou a uma experiência. Quando Paulo escreve, “porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos” (Rm 13.11), ele está claramente falando da salvação como um processo contínuo de graça. É um processo de graça que começou na eternidade passada, antes do começo do tempo, que é experimentado pela fé em Cristo no tempo, e que será consumado na eternidade porvir, quando o tempo não mais existirá. Esta grande obra de salvação é a obra de Deus somente. Ela foi planejada por Deus, adquirida por Deus, produzida por Deus, é preservada por Deus, e será aperfeiçoada por Deus. Do princípio ao fim a “salvação é do Senhor!” (Jn 2.9). Portanto, somente Deus terá o louvor por ela. A obra da graça de Deus que é chamada “salvação” deve ser entendida como uma obra consistindo de três coisas2. Vamos pensar maduramente a fé cristã?]
1. Marcio S. da Rocha; ‘Três Aspectos da Salvação’; Disponível em: http://www.doutrinasessenciais.com/2013/12/31/tres-aspectos-da-salvacao/. Acesso em 24 nov, 2017.
2. Don Fortner; ‘Três Aspectos da Salvação’; Disponível em: http://www.monergismo.com/textos/sotereologia/tres_aspectos_salvacao_fortner.htm. Acesso em: 23 nov, 2017.

PONTO CENTRAL
O processo da salvação se dá por meio da justificação, regeneração e santificação.

l - JUSTIFICADOS POR DEUS

1. A natureza da Justificação. A justificação evoca a ideia de um tribunal jurídico em que pesam terríveis e verdadeiras acusações contra nós, mas que por meio do sacrifício expiatório e substitutivo de Cristo, se tornaram nulas (Rm 4.24,25). Assim, somos declarados inocentes, pois nossa condenação foi substituída pela pena paga por Cristo na cruz (2 Co 5.21). É um ato gracioso e amoroso de Deus para nós, sem interferência dos méritos humanos, cabendo ao homem somente crer mediante a fé na obra que Jesus operou (Rm 5.1). Entretanto, cabe ressaltar que a fé é o meio instrumental para nos unir a Cristo, o nosso justificador, e não a causa da justificação. Logo, a justificação tem como consequência direta o perdão dos pecados, a reconciliação do pecador com Deus, a segurança da salvação e a santificação da vida. [Comentário: Quando João 19. 30 diz: “está consumado”, que é a expressão grega tételestai, ele quer dizer que tudo está pago. Isto representa a salvação para o cristão. Tudo foi comprado no calvário. Abrange cada fase de nossas necessidades e dura de eternidade a eternidade. Inclui a libertação do pecado no presente e a apresentação contra as invasões do pecado no futuro (Jd 1.24-25; Tt 2.11-13). Explicando o termo justificação, o site Got Question? Apresenta: “Para colocar de forma simples, justificar significa declarar justo; fazer alguém justo diante de Deus. Justificação é quando Deus declara justo todo aquele que recebe a Cristo, baseado na justiça de Cristo sendo debitada às contas daqueles que O recebem. Apesar de que podemos achar justificação como um princípio por todas as Escrituras, a passagem principal que descreve justificação em relação aos crentes é Romanos 3.21-26.3. A justificação é definida por Wayne Grudem (1999, p. 604) da seguinte maneira: “Justificação é um ato instantâneo e legal da parte de Deus pelo qual ele (1) considera os nossos pecados perdoados e a justiça de Cristo como pertencente à nós e (2) declara-nos justos à vista dele”.]
3. O que é justificação? Disponível em: https://www.gotquestions.org/Portugues/justificacao.html. Acesso em: 23 nov, 2017.

21 de novembro de 2017

Lição 9: Arrependimento e Fé para a Salvação




LIÇÕES BÍBLICAS CPAD ADULTOS
4º Trimestre de 2017
Título: A Obra da Salvação: Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida
Comentarista: Pr. Claiton Ivan Pommerening
Material de apoio gratuito aos professores e alunos de escola dominical que utilizam as revistas da CPAD

Lição 9
26 de Novembro de 2017

Arrependimento e Fé para a Salvação

Texto Áureo

Verdade Prática
"E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo." (At 2.38)

O arrependimento do pecador é o primeiro passo para receber, pela fé, a graciosa salvação de Deus.
.
Leitura Diária
Segunda SI 51.1-3
 O arrependimento abre caminho para o perdão de Deus
Terça Is 30.15
Deus concede salvação ao que se arrepende
Quarta Mt 3.8
Um convite para dar frutos dignos de arrependimento
Quinta Lc 15.7
Há alegria no céu quando um pecador se arrepende
Sexta 1Jo 1.9
Deus é fiel para justificar quem se arrepende dos seus pecados
Sábado Ap 3.19
Um chamado ao arrependimento

Leitura Bíblica em Classe
Atos 2.37-41.
37 E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?
38 E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;
39 Porque a promessa vos diz respeito a vós, a

vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar.
40 E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.
41 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas.

HINOS SUGERIDOS: 192, 292, 484 da Harpa Cristã

Objetivo Geral
Explicar que o arrependimento é o primeiro passo para receber, pela fé, a graciosa salvação de Deus.

Objetivos Específicos
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

 - Mostrar que o arrependimento, mediante a ação do Espírito é uma mudança essencial para receber a salvação de Deus;
- Explicar que a fé salvífica é um dom de Deus;
- Compreender que o arrependimento e a fé são as respostas do homem à salvação.


COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
O arrependimento e a fé operam conjuntamente para a salvação. É o pecador arrependido que crê no sacrifício vicário de Cristo na cruz do Calvário. Essa fé leva o pecador arrependido a abandonar de vez a situação de pecado, para então ser perdoado e, experimentar assim, a paz de Deus em seu coração. [Comentário: Na Bíblia, arrependimento é um termo teológico que indica um abandono daquelas atitudes que afrontam Deus envolvendo-se no que ele odeia e proíbe. O termo no hebraico para arrependimento significa desviar-se. ou retornar. O termo correspondente no grego tem o sentido de mudança de mente de modo a mudar os caminhos também. Arrependimento significa mudar hábitos de pensamento, atitudes, ponto de vista, política, direção e comportamento na medida certa para deixar de lado o caminho errado e seguir o caminho certo. Arrependimento é, na verdade, uma revolução espiritual. Esta, agora, nada mais é do que a realidade humana que iremos explorar1., vamos pensar maduramente a fé cristã?]
1. BESSA, Josemar; ‘O que é arrependimento?’. Disponível em: http://www.josemarbessa.com/2010/04/o-que-e-arrependimento.html. Acesso em: 18 nov, 2017.

PONTO CENTRAL
Fé e arrependimento são essenciais para se fazer parte do Reino de Deus.

I - ARREPENDIMENTO, UMA TRANSFORMAÇÃO DO ESPÍRITO

1. Definição de arrependimento. No Antigo Testamento, arrependimento significa mudança de ideia ou de propósito, no sentido de abandonar o pecado, voltando-se para Deus de todo o coração, alma e força (Ne 1.9; Is 19.22). Em o Novo Testamento, o verbo arrepender é mais fortemente expressado, pois significa "converter-se" ou "retornar", termos que expressam a mudança de mente, transformação do pensamento, da consciência, das atitudes, isto é, uma verdadeira metanoia - do grego, "mudança da mente, mudança do homem interior: a mudança profunda e radical da mente". Quando se passa pelo verdadeiro arrependimento há uma tristeza sincera pelo pecado praticado (2 Co 7.10) e posterior compromisso de abandoná-lo para abraçar a vontade de Deus. [Comentário: O verbo que dá origem a palavra, em grego, é METANOEO, e é definido assim:
" !Se arrepender? , incluindo as idéias de reflexão, contemplação, e mudança de mente, pensamento, por exemplo, do julgamento e do sentimento, sobre aspectos morais, com referência particular ao caráter e conduta do próprio penitente." 1
"O verbo !METANOEO? não deve restringir-se apenas à mera tristeza pelo pecado ! o arrependimento no sentido de contrição; mas implica uma mudança de pontos de vista, de pensamento e de propósito, e uma conseqüente mudança da predisposição - arrependimento no sentido de conversão." 2
" mudar de idéia? por exemplo, !arrepender-se?..., de ter ofendido alguém..." 3
"O arrependimento causa uma mudança na mente ... O arrependimento causa uma mudança nas afeições ... O arrependimento opera uma mudança na vida." 4. John Wesley pregando sobre ‘O Arrependimento dos Crentes’, afirma: “Geralmente se crê que a fé e o arrependimento não são nada mais do que a porta da salvação; que são necessários somente no início da carreira cristã. Ou acaso não nos exorta o Apóstolo a que ‘'deixemo-nos levar para o que é perfeito, não lançando mão de novo a base do arrependimento de obras mortas, e da fé em Deus''? ( Hb 6.1). Não há dúvida de que isto é certo, que há um arrependimento e uma fé imprescindíveis no princípio, a saber, um arrependimento que é a completa convicção de nossa pecaminosidade, culpabilidade e incapacidade, e que este arrependimento é necessário para que possamos receber o Reino de Deus, esse Reino espiritual, que, segundo o Senhor Jesus, está dentro de nós (Lc 19.21), e uma fé pela qual recebemos este Reino descrito em Romanos (14.17). Mas apesar disso, há uma fé e um arrependimento indispensáveis em cada etapa de nossa carreira cristã e sem eles não é possível que corramos a carreira que nos é proposta. E este arrependimento e esta fé são tão necessários para que continuemos e cresçamos na graça, como aquele arrependimento e aquela fé (iniciais) o foram para que entrássemos no Reino de Deus. Mas, em que sentido devemos nós, arrependermo-nos e crermos, depois de havermos sido justificados? Esta questão é muito importante e digna da maior atenção.5.]
1. ALEXANDER, J. A. THE GOSPEL OF MARK, p.15
2. GLOAG, P. J. A CRITICAL AND EXEGETICAL COMENTARY ON THE ACTS OF THE APOSTLES, vol. 1, p. 109.
3. THAYER. GREEK-ENGLISH LEXICON, p. 405
4. WATSON, Thomas. THE TEM COMMANDMENTS, p. 207.

2. O arrependimento na vida cotidiana. O arrependimento nos solta das amarras do pecado, da culpa que escraviza e nos tira a alegria de viver. Ele nos leva a experimentar a cura da consciência cauterizada pelo pecado (1Tm 4.2). Assim, o arrependimento nos devolve a satisfação, a autoestima sadia (sem orgulho ou narcisismo) que resulta em alegria e paz no coração. Há na existência do cristão diversas áreas da vida que talvez ainda não tenham sido submetidas ao completo senhorio de Cristo, isto é, áreas que ainda não passaram pelo processo de arrependimento (Hb 12.17). Por isso a Palavra de Deus aconselha-nos a fazer um autoexame sincero (1Co 11.28a) para percebermos o que sorrateiramente nos contamina, pois "enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer?" (Jr 17.9). [Comentário: John Wesley pregando sobre ‘O Arrependimento dos Crentes’, afirma: “Geralmente se crê que a fé e o arrependimento não são nada mais do que a porta da salvação; que são necessários somente no início da carreira cristã. Ou acaso não nos exorta o Apóstolo a que ‘'deixemo-nos levar para o que é perfeito, não lançando mão de novo a base do arrependimento de obras mortas, e da fé em Deus''? ( Hb 6.1). Não há dúvida de que isto é certo, que há um arrependimento e uma fé imprescindíveis no princípio, a saber, um arrependimento que é a completa convicção de nossa pecaminosidade, culpabilidade e incapacidade, e que este arrependimento é necessário para que possamos receber o Reino de Deus, esse Reino espiritual, que, segundo o Senhor Jesus, está dentro de nós (Lc 19.21), e uma fé pela qual recebemos este Reino descrito em Romanos (14.17). Mas apesar disso, há uma fé e um arrependimento indispensáveis em cada etapa de nossa carreira cristã e sem eles não é possível que corramos a carreira que nos é proposta. E este arrependimento e esta fé são tão necessários para que continuemos e cresçamos na graça, como aquele arrependimento e aquela fé (iniciais) o foram para que entrássemos no Reino de Deus. Mas, em que sentido devemos nós, arrependermo-nos e crermos, depois de havermos sido justificados? Esta questão é muito importante e digna da maior atenção.”5.]
5. WESLEY, Jonh, ‘O Arrependimento dos Crentes’. Disponível em: http://www.monergismo.com/textos/arrependimento/arrependimento_wesley.htm. Acesso em: 18 nov, 207.

16 de novembro de 2017

Lição 8: Salvação e Livre-Arbítrio


LIÇÕES BÍBLICAS CPAD ADULTOS
4º Trimestre de 2017
Título: A Obra da Salvação: Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida
Comentarista: Pr. Claiton Ivan Pommerening
Material de apoio gratuito aos professores e alunos de escola dominical que utilizam as revistas da CPAD


Lição 8
19 de Novembro de 2017

Salvação e Livre-Arbítrio

Texto Áureo

Verdade Prática
“Qual é o homem que teme ao Senhor? Ele o ensinará no caminho que deve escolher” (Sl 25.12).

O projeto primário de Deus foi salvar a humanidade. Todavia, de acordo com sua soberania, concedeu o livre-arbítrio ao homem.
.
Leitura Diária
Segunda — Gn 3.1,6
Deus dá ao homem capacidade de fazer escolhas
Terça — Dt 30.19
A liberdade de escolher entre a bênção e a maldição
Quarta — Is 48.18
O povo escolhe não obedecer a Deus

Quinta — Rm 10.9
A salvação é pela graça, mas o homem precisa decidir aceitá-la
Sexta — Gl 5.1
O homem escolhe se submeter ou não ao jugo da escravidão
Sábado — Sl 119.30,31
O salmista decidiu andar pelo caminho da verdade

Leitura Bíblica em Classe
João 3.14-21.
14 E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,
15 para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18 Quem crê nele não é condenado; mas

quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
19 E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
20 Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas.
21 Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fi m de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.

HINOS SUGERIDOS: 27, 41 e 124 da Harpa Cristã

Objetivo Geral
Explicar que o projeto primário de Deus foi salvar a humanidade, contudo, de acordo com sua soberania, concedeu o livre-arbítrio ao homem.

Objetivos Específicos
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

    I.   Mostrar que a eleição bíblica é segundo a presciência divina;
    II.  Discutir a tese bíblica de Armínio a respeito do livre-arbítrio;
    III. Conhecer a respeito da eleição divina e do livre-arbítrio.


COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Na cruz do Calvário, Jesus Cristo ofereceu a salvação indistinta e gratuitamente para todos os seres humanos (Ap 22.17). Por decisão pessoal, e liberdade individual, os que recebem a oferta de salvação são destinados à vida eterna, pois o Pai quer que todo homem se salve e que ninguém se perca (2Pe 3.9). [Comentário: Nesta lição, temos a oportunidade de pensar maduramente acerca da fé cristã. É importante salientar, sob os três aspectos teológicos encontrados hoje em dia – Calvinismo, Luteranismo e Arminianismo – qual a situação do homem: Na ótica Luterana: “O homem foi criado à imagem de Deus, mas a perdeu. "Por natureza somos espiritualmente cegos, mortos e inimigos de Deus". "Sem o auxílio do Espírito Santo o homem é incapaz de crer". Lutero se opunha ao termo livre-arbítrio já que há ação do Espírito Santo.”; Para o Calvinismo: “Depravação total - Todos os homens nascem totalmente depravados, incapazes de se salvar ou de escolher o bem em questões espirituais;”; o Arminianismo defende a “Capacidade humana (Livre-arbítrio) - Todos os homens embora sejam pecadores, são livres para aceitar ou recusar a salvação que Deus oferece, mediante ação do Espírito Santo;” Ainda nesse sentido, para os Luteranos, a Eleição é condicional; Os Calvinistas afirmam que a Eleição é incondicional – Deus escolheu dentre todos os seres humanos decaídos um grande número de pecadores por graça pura, sem levar em conta qualquer mérito, obra ou fé prevista neles; Deus predestinou (determinou) quem vai para o céu e quem vai para o inferno, e a teologia Arminiana defende que a Eleição é condicional - A eleição divina só acontece mediante a fé em Cristo; A predestinação, citada na Bíblia, acontece com base na presciência de Deus. Quanto à Expiação, os Luteranos crêem na Expiação geral ou ilimitada; os Calvinistas na Expiação particular ou limitada - Jesus Cristo morreu na cruz para pagar o preço do resgate somente dos eleitos, e os Arminianos pregam que a Expiação foi geral ou ilimitada - Cristo morreu por todos os homens e não somente pelos eleitos. Explicado estas posições acerca da situação do homem, da Eleição e da Expiação, vamos pensar maduramente a fé cristã?]

PONTO CENTRAL
De acordo com sua soberania, Deus concedeu o livre-arbítrio ao homem.