Classe Virtual:

Data/Hora Atualizada

7 de maio de 2017

Lição 7: Rute, Uma Mulher Digna de Confiança



LIÇÕES BÍBLICAS CPAD – ADULTOS - 2º Trimestre de 2017
Título: O Caráter do Cristão — Moldado pela Palavra de Deus e provado como ouro
Comentarista: Elinaldo Renovato

- Lição 7 -
14 de Maio de 2017

Rute, Uma Mulher Digna de Confiança

TEXTO ÁUREO

VERDADE PRÁTICA
“[...] porque, aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares à noite, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus." (Rt 1.16)

Deus usou Rute, quebrando todos os paradigmas raciais, para torná-la parte da linhagem do Messias.

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Ne 13. 2
Deus transformou a maldição em bênção
Terça -  Sl 115.3
Deus faz tudo o que lhe apraz
Quarta -   Jo 3.16
Jesus veio para morrer por todos os homens que nEle creem

Quinta - SI 24.1
O mundo e seus habitantes pertencem a Deus
Sexta - Cl 3.10,11
Em Cristo, nenhum povo é excluído do seu amor
Sábado -  Ef 2.19
Em Cristo, todos somos da família de Deus


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Rute 1.11,14 – 18
11 Porém Noemi disse: Voltai, minhas filhas. Por que iríeis comigo? Tenho eu ainda no meu ventre mais filhos, para que vos sejam por maridos?
14 Então levantaram a sua voz, e tornaram a chorar; e Orfa beijou a sua sogra, porém Rute se apegou a ela.
15 Por isso disse Noemi: Eis que voltou tua cunhada ao seu povo e aos seus deuses; volta tu também após tua cunhada.
16 Disse, porém, Rute: Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus;
17 Onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada. Faça-me assim o SENHOR, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti.
18 Vendo Noemi, que de todo estava resolvida a ir com ela, deixou de lhe falar.

HINOS SUGERIDOS: 96, 467, 515 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL

Mostrar que Deus usou a vida de Rute para quebrar paradigmas raciais e torná-la parte da linhagem do Messias.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.
Apresentar um resumo da história de Rute;
Mostrar o cuidado de Noemi e o caráter de Rute;
Explicar como Rute entrou na genealogia de Jesus.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Na lição de hoje, estudaremos a respeito do caráter bondoso e fiel de Rute. Ela se recusou a abandonar sua sogra, viúva e sem nenhum recurso financeiro. Rute escolheu ajudar Noemi e seguir o seu Deus. Ela trabalhou nos campos recolhendo espigas para sustentar sua sogra e para sobreviver. Esse era um trabalho honesto, porém nada fácil para uma mulher sozinha. Sua história revela seu caráter bondoso e fiel ao Deus de Israel e à sua sogra. Aprendemos com seu perfil que o amor e a bondade são capazes de mudar a história de uma pessoa. Pois, essa gentia, que não fazia parte do povo de Deus, entrou na genealogia de Jesus.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Nesta lição, estudaremos o caráter de uma jovem estrangeira, que se tornou uma das mulheres mais admiráveis da Bíblia. Trata-se de Rute, uma moça moabita, que se casou com um jovem hebreu, contrariando os costumes e os preceitos legais de seu povo. A narrativa do livro que tem o seu nome mostra que Deus é soberano, onipotente, e, ao mesmo tempo, misericordioso e amoroso. O livro de Rute é considerado umas das mais belas peças da literatura universal. [Comentário: “...buscar suprimento para as suas necessidades? De seu falecido marido? De Noemi? Não sabemos, mas sabemos que Rute permaneceu comprometida fazendo a coisa certa, e Deus a surpreendeu suprindo todas as suas necessidades e mais do que isso. Deus providenciou para Rute a pessoa do Boaz, um homem de caráter semelhante;” John C. Maxwell Biblia da Liderança Cristã 2° Ediçao. Rute, moabita, descendente de Ló, que teve uma relação incestuosa promovida pela filha mais velha de Ló, sobrinho de Abraão, logo após a destruição de Sodoma e Gomorra. Independentemente do que a vida nos traga, podemos viver de acordo com os preceitos de Deus. Genuíno amor e bondade serão recompensados. Deus abençoa abundantemente aqueles que procuram viver uma vida obediente. Vida obediente não permite "acidentes" no plano de Deus. Deus estende misericórdia aos misericordiosos.] Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?

PONTO CENTRAL
Rute tinha um caráter bondoso e íntegro.

I - RUTE, UM RESUMO DE SUA ORIGEM

1. Uma estrangeira. O nome Rute significa "amizade". Ela era moabita. Um fato histórico tornou os moabitas adversários de Israel. Eles não permitiram ao povo de Deus passar pelo seu território quando deslocava-se em direção a Canaã, e precisava passar pelo território de Moabe, sob a liderança de Moisés (Nm 20.19). Eles foram hostis. Por isso. Deus determinou que nem moabitas nem amonitas poderiam fazer parte da "congregação do Senhor", ou do povo de Israel, "nem ainda a sua décima geração" (Dt 23.3-6; Ne 13.2). Essa é a origem étnica de Rute. Se houvessem sido observados os preceitos da Lei, ela jamais poderia fazer parte da linhagem do povo de Israel. [Comentário: Moabitas são os habitantes de Moabe ("semente do pai"), eram aparentados com os hebreus, através de Ló e sua filha mais velha (Gn 19.30-38). Embora descendecem de Ló e tenham conhecido o Deus de Abraão, o deus adorado pelos moabitas era Quemos (Nm 21.29). O culto desse deus incluía sacrifícios humanos nos montes (principalmente de crianças), à semelhança de Moloque (divindade do reino de Amon), as vítimas eram os primogênitos, queimados vivos como oferendas. Além disso, banhavam-se no mar de Arabah (atual Mar Morto) para se purificar e defecavam publicamente em grandes latrinas em frente aos ídolos. Essa estranha prática fornecia o que os sacerdotes de Quemos precisavam para suas previsões (Jr 48). Baal-Peor era o deus mais popular de todos os deuses entre os povos daquela região, representado por um touro, símbolo de força e de fertilidade e considerado o deus das chuvas e das colheitas. Segundo o site Chabad.org, “Ruth, uma princesa moabita, imbuída de elevados ideais, não estava satisfeita com a idolatria de seu próprio povo e quando chegou a oportunidade, abriu mão do privilégio da realeza em sua terra, aceitando uma vida de pobreza entre um povo que ela admirava. Ruth fez amizade com essa família judia e começou a comparar o diferente modo de vida com o seu próprio. Aprendeu a admirar as leis e costumes judaicos, e a insatisfação que já sentia com a idolatria de seu povo, tornou-se uma objeção positiva. Quando um dos filhos de Naomi a pediu em casamento, ela sentiu-se feliz e orgulhosa em aceitar. Não ficou com remorso frente ao que estava renunciando: a vida de luxúria no palácio, o título real, as perspectivas de riqueza e honra no futuro, pois percebia o valor do povo ao qual agora se unia” http://www.chabad.org.br/datas/shavuot/estudo/estu05.html. Nos tempos de Josué, Balaão era um sacerdote da cidade de Baal-Peor, chamado pelo rei Balak para amaldiçoar os israelitas. Depois de repreendido pelo Senhor, Balaão acabou abençoando os israelitas, mas ensinou as mulheres de Moabe a se casarem com os israelitas e introduzirem seu culto no reino vizinho (Nm 22-25, Jz 10.6). Salomão teve duas esposas moabitas, que construíram altares a Baal-Chemosh nas montanhas vizinhas ao Templo (1Rs 11). Os músicos que compuseram alguns dos Salmos condenaram isso (Sl 106.28). Em Apocalipse, o Senhor também condena os seguidores de Balaão na igreja de Pérgamo (Ap 2.12-17). http://loungecba.blogspot.com.br/2013/02/andando-por-moabe.html.]


2. Como Rute vinculou-se a uma família israelita. Uma família judaica teve que sair de Belém para escapar da seca que assolava a região. Eram eles: Elimeleque, Noemi (ou Naomi, que significa "agradável"), sua esposa, e os dois filhos, Malom e Quiliom. Emigraram para a terra de Moabe, onde havia alimento. Contrariando os costumes da família, os dois filhos casaram com jovens moabitas. Malom casou-se com Rute; Quiliom casou-se com Órfã. Não se sabe quanto tempo viveram com suas esposas. Os três homens faleceram deixando três mulheres sem amparo (Rt 1.1-5). Uma seca e três óbitos mudaram a história dessas pessoas. [Comentário: Com muitos casamentos entre israelitas e moabitas, as relações entre os povos não eram sempre ruins. Curiosamente (e não tão curioso assim, pois os hebreus compartilhavam os campos de pastoreio em Moabe e cortejavam as moabitas), Rute era mulher moabita que se casou com o filho de Elimeleque, um pastor hebreu (Rt 1, Rt 4) e veio a se tornar bisavó do rei Davi, este, então, tinha sangue moabita correndo em suas veias. Mais tarde, quando era perseguido pelos homens de Saul, Davi pediu que o rei de Moabe protegesse seus pais (1Sm 22). No site Chabad.org, já citado, temos: “Orpá despediu-se tristemente de sua sogra. Mas Ruth se apegou a Naomi em prantos e implorou-lhe para partir com ela. Com estas tocantes palavras pediu: "Eu te suplico, não me peças que te deixe, e que retorne após te seguir, porque aonde quer que fores, eu irei; e onde pousares, pousarei; teu povo é o meu povo e teu D'us é o meu D'us; onde morreres, morrerei, e ali serei enterrada; somente a morte me separará de ti." Ruth sabia muito bem o que estava fazendo. Naomi a havia prevenido das dificuldades com que se defronta um judeu em qualquer tempo, mas Ruth estava inabalável em sua determinação de seguir sua sogra e de apegar-se a fé de sua escolha. Só o futuro provaria que Ruth seria justamente recompensada por sua elevada decisão, pois mesmo em seus momentos de pobreza ela não se arrependeu” http://www.chabad.org.br/datas/shavuot/estudo/estu05.html. A mais linda confissão, na Bíblia, de apego e amor saiu dos lábios de uma mulher pagã (Rt 1.16-17 – “Porque, aonde quer que tu fores, irei eu... O teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus...” Rute, uma jovem moabita trabalhadora, dedicada e comprometida, torna-se a principal personagem da narrativa. Conheceu a dor da viuvez muito cedo, e a mudança radical de vida escolhendo acompanhar sua sogra até a cidade de Belém. Uma terra diferente, um povo diferente, um estado de vida diferente, uma proposta de compromisso com o novo. Seu compromisso firmado em tom de verso tornou-se declaração de aliança entre pessoas que entendem o projeto de Deus para suas vidas juntas. A fidelidade de Rute a Noemi e ao Deus de Noemi é um grande exemplo para nós. A fidelidade atrai fidelidade. Rute atraiu a fidelidade de Deus e de outras pessoas para ela - “Porque o Senhor é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a sua fidelidade” (Sl 100.5). “O teu Deus é o meu Deus” – quando se pensa em família, um texto da palavra do Senhor vem à mente: “quem não cuida dos da sua própria casa, é pior que o incrédulo”; é preciso partilhar a fé e gerar filhos e filhas na fé dentro de casa. De alguma forma, Noemi ‘ganhou’ aquela nora para o Senhor.]

3. Em direção à terra de Judá. Dez anos depois, Deus concedeu a bênção da fartura de pão em Israel (Rt 1.6). E a viúva de Elimeleque convidou suas duas noras, também viúvas, para irem a Belém, onde havia pão (Rt 1.7). Belém (hb. Beth-Lehem, significa "Casa do Pão").. [Comentário: Noemi não foi esquecida por Deus. Rute, sua nora, foi  levantada por Deus para ajudar Noemi. Rute deixou sua família e sua terra  e adotou a cultura  e religião de Noemi e do seu povo. Noemi não tinha materialmente nada para oferecer a Rute, mas Rute se tornou sua aliada fiel. Hoje em dia, muitas pessoas fazem declarações negativas  sobre suas sogras. Por muita vezes, a figura de uma sogra tem sido o alvo de chacotas e piadas. Mas, em Noemi e Rute, vemos um grande exemplo de bom relacionamento que Rute tinha com sua sogra e tinha também um  grande sentimento de amizade e devoção pela por ela. Ela. Eu gostaria de falar um pouco sobre esta nora, chamada Rute e as grandes lições de vida que aprendemos com ela. Ao estudar a vida de Rute aprendemos que a fidelidade e a bondade são essenciais para que a família, a sociedade e a igreja prosperem e tenham a proteção do Senhor. Com Rute, aprendemos sobre o  valor da fidelidade. Um dia, Noemi chamou as suas duas noras e disse no cap. 1:8-13: “ Voltem para casa e fiquem com as vossas mães. Que o Senhor seja bom para vocês, assim como vocês foram boas para mim e para os falecidos!  “O Senhor permita que vocês casem de novo e cada uma tenha o seu lar.” Então Noemi se despediu das suas noras com um beijo. Porém elas começaram a chorar alto e disseram: “Não nós não voltaremos. Nós iremos com a senhora e ficaremos com o seu povo.” Mas Noemi respondeu:  “Voltem, minhas filhas. Por que querem ir comigo? Vocês acham que eu ainda poderei ter filhos para casarem com vocês? ” Ver Rute 1:8-11. Orfa, uma de suas noras resolveu voltar para casa de seus pais e sua terra,  mas Rute permaneceu. Enquanto uma retrocedeu e voltou atrás, a outra ficou. E por ter ficado com Noemi, Deus recompensou a fidelidade de Rute. Noemi não tinha nada para dar à Rute; não tinha dinheiro, não havia feito promessas, não podia lhe dar um novo casamento, estava idosa, mas Rute resolveu ficar. Rute disse à  sua sogra no cap. 1:16: "o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus” http://temasbblicos.blogspot.com.br/2011/09/rute-e-noemi-fieis-deus-em-situacoes.html.]

SÍNTESE DO TÓPICO I

Rute era uma moabita que se vinculou a uma família israelita e veio a fazer parte da linhagem do Messias.


SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
Professor, Rute era moabita. Por isso, é importante que você utilize o subsídio abaixo para explicar aos alunos a origem desse povo.
"De acordo com Génesis 19.30-38, os moabitas descendiam de Moabe, filho de Ló, que era sobrinho de Abraão, como resultado de uma relação incestuosa com a filha mais velha de Ló. A narrativa, entretanto, indica que os israelitas e moabitas eram semitas e parentes de sangue, e isto é confirmado pelo fato de que a língua dos moabitas está intimamente relacionada à dos hebreus. Os sinais da inscrição de 34 linhas na Pedra Moabita correspondem aos sinais de inscrição de Siloé de Ezequias, e mostra que as duas línguas são da mesma descendência semítica. A similaridade de alguns costumes também indica o mesmo parentesco. Moabe é representada em Êxodo 15.15 como já sendo um povo poderoso quando Israel saiu do Egito.
A terra que veio a ser conhecida como Moabe era, até onde sabemos originalmente, habitada por um povo conhecido por sua grande estatura, que a Bíblia chama de refains (Dt 2.10,11). Eles foram citados pêlos moabitas que os expulsaram, como 'emis' os 'terríveis' ou 'ameaçadores'. Eles são citados em Génesis 14.5 como habitantes de Sa-vé-Quiriataim.
Durante o período dos juizes de Israel, em que a nação ficou enfraquecida, os moabitas prosseguiram para o norte, a partir do rio Arnom até vários quilómetros ao norte do extremo do mar Morto, atravessando o rio Jordão até Jericó. Os israelitas foram oprimidos por Eglom, rei de Moabe, durante 18 anos até este ser assassinado pelo juiz Eúde (Jz 3.12-30). As campanhas do rei Saul na Transjordânia incluíram a derrota de Moabe (1Sm 12.9). Quando Davi fugiu de Saul, ele levou seus pais até o rio de Moabe, para que estivessem protegidos. Talvez este simpatizasse com Davi por causa de Rute, a bisavó moabita de Davi.
Durante os reinados de Davi e Salomão, Moabe esteve sob o domínio de Israel" (Dicionário Bíblico Wycliffe. l.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 1296).

II - O CUIDADO DE NOEMI E O CARÁTER DE RUTE

1. Um amor sincero e profundo. Noemi sugeriu que as duas noras voltassem às suas origens. Mostrou-lhes o quanto seria difícil estar com ela, e insistiu para que voltassem às suas famílias. "Então, levantaram a sua voz e tornaram a chorar; e Órfã beijou a sua sogra; porém Rute se apegou a ela" (Rt 1.14). [Comentário: Mesmo na amargura e na prova, Deus está trabalhando a nosso favor! (Is 64.4). A história de Rute revela a mão escondida de Deus em meio às amargas experiências de seu povo. Esse livro não somente destaca que Deus está preparando o caminho para a vinda do Rei da Glória, mas ele o faz de modo que todos nós possamos aprender que mesmo os piores tempos não são desperdiçados. Não são desperdiçados globalmente, historicamente ou pessoalmente.]

2. O caráter amoroso de Rute. Órfã, viúva de Quiliom, "beijou a sua sogra", despediu-se, e foi embora para sua família, e "aos seus deuses" (Rt 1.15). Mas Rute demonstrou outra atitude. Preferiu acompanhar sua amada sogra
a) Um caráter amoroso e confiante. "Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me afaste de ti; porque, aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares à noite, ali pousarei eu [...]" (Rt 1.16a). Como verdadeira serva de Deus, Rute demonstrou ter um caráter agradecido e generoso. Ela tomou a decisão consciente de estar ao lado de Noemi, em qualquer lugar e em qualquer circunstância. Ela amava de verdade.
d) Um caráter fortalecido na fé em Deus. Com toda a certeza, Rute se converteu ao Senhor. Em sua declaração de amor a Noemi, ela disse com toda a convicção:"[...] o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus" (Rt 1.16b). Essa decisão mostra a sua fé em Deus (Hb 11.1). Rute não imaginava o que poderia lhe acontecer, mas ficou ao lado de Noemi, como vendo o invisível, sob a mão de Deus.
c) Um caráter decidido e firme. Rute afirmou diante da sua sogra, amiga • irmã de fé sua decisão consciente: "Onde quer que morreres, morrerei eu e ali serei sepultada; me faça assim o Senhor e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. Vendo ela, pois, que de todo estava resolvida para ir com ela, deixou de lhe falar nisso" (Rt 1.17,18). Uma lição de grande valor para os dias atuais, quando muitos que se dizem cristãos, desistem de seguir a Cristo por causa dos desafios, das lutas e provações. [Comentário: Rute acompanhou Noemi de volta a Belém, porém, sua vida no início não foi nada fácil. A moabita não era vista com bons olhos pelas ruas da cidade. Ela era uma mulher delicada, sozinha em uma terra estrangeira, que tinha que ir ao campo, executar trabalho de homem para conseguir o que comer. Rute não tem muitas alternativas, mas ela pode colher espigas segundo a lei, e é o que ela faz, tornando frutífero o tempo e oportunidades que ela tem. Dirigi-se aos campos de Boaz, seu primo, que sem conhecê-la, a tratou com muita generosidade, como o demonstra a narrativa bíblica (Rt 2.4-18). Segundo a tradição judaica, o parente mais próximo de uma viúva tinha o dever de se casar com ela e comprar a sua propriedade. Noemi, então, reconhecendo em Boaz um dos resgatadores de Rute, procurou aproximar a ex-nora de Boaz - Noemi instruiu Rute como proceder, afinal Rute era moabita e não conhecia a lei judaica. Informado do compromisso, Boaz lembrou que havia um parente mais chegado que ele. Reunido o sinédrio da cidade de Belém, o anônimo tio de Rute se recusou a desposá-la. Provavelmente ele teve medo de cair numa desgraça espiritual, já que a lei mosaica proibia que uma moabita passasse a integrar, por casamento, o povo de Israel (Nenhum amonita ou moabita, até a décima geração, fará parte do povo do Deus Eterno. Eles ficarão de fora -- Deuteronômio 23.3). Boaz não deve teve o mesmo receio, especialmente depois do apoio que lhe foi dado pelo conselho local. Na verdade, apesar desta autorização, ele correu o risco de ser considerado impuro. Por este casamento, ele e sua esposa, bisavós de Davi, entraram na genealogia do Messias. Por seu comportamento, Boaz pode ser colocado na galeria de homens cheios de graça. Bondade é a marca mais evidente no seu jeito de ser.]


SÍNTESE DO TÓPICO II

O cuidado de Rute para com Noemi revelou o seu caráter fiel e bondoso.


SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
"No mundo antigo, não havia quase nada pior do que ser uma viúva. Muitas pessoas tiravam vantagem das viúvas ou as ignoravam. Elas eram quase sempre atingidas pela pobreza. Portanto, a lei de Deus ordenava que o parente mais próximo do marido falecido cuidasse da viúva. Mas Noemi não tinha parentes em Moabe, e não sabia se algum dos parentes do marido estavam vivos em Israel.
Mesmo em uma situação desesperadora, Noemi teve uma atitude altruísta. Embora ela tenha decidido voltar para Israel, encorajou Rute e Órfã a permanecerem em Moabe e recomeçarem suas vidas, mesmo que isto trouxesse dificuldades para ela.
Belém ficava a aproximadamente oito quilómetros a sudoeste de Jerusalém. A cidade era cercada por oliveiras e campos verdejantes. Suas colheitas eram abundantes. Certamente, o retorno de Rute e Noemi a Belém foi parte do plano de Deus, porque nesta cidade nasceria Davi (1Sm 16.1). Como previsto pelo profeta Miqueias (Mq 5.2), Jesus Cristo também nasceria neste lugar. Portanto, esta mudança foi mais do que mera conveniência para Rute e Noemi. Ela propiciou o cumprimento das Escrituras" (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 422).


CONHEÇA MAIS
Belém
"Situa-se a mais ou menos oito quilómetros a sudoeste de Jerusalém. A cidade era cercada por exuberantes campos de oliveira. Suas colheitas eram abundantes. A vinda de Rute e Noemi a Belém era certamente parte do plano de Deus porque nesta cidade nasceria Davi (1Sm 16.1), e, como foi predito por Miqueias (5.2). Jesus Cristo também viria ao mundo lá. Esta mudança, então, era mais do que mera conveniência para Rute e Noemi. Ela tinha como propósito o cumprimento das Escrituras." Para conhecer mais leia, Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, CPAD,p.357.



III - COMO RUTE ENTROU NA GENEALOGIA DE JESUS


1. Rute chega a Belém. Ao chegar a Belém, Rute viu a admiração do povo pela condição em que sua sogra retornou à sua terra. Diz o texto:"[...] e sucedeu que, entrando elas em Belém, toda a cidade se comoveu por causa delas, e diziam: Não é esta Noemi? Porém ela lhes dizia: Não me chameis Noemi; chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo-Poderoso. Cheia parti, porém vazia o Senhor me fez tornar; por que, pois, me chamareis Noemi? Pois o Senhor testifica contra mim, e o Todo-Poderoso me tem afligido tanto" (Rt 1.19-21). Noemi quer dizer "agradável", enquanto Mara significa "amargurada". Este era o sentimento que enchia o coração de Noemi. Elas chegaram a Belém "no princípio da sega das cevadas" (Rt 1.22). [Comentário: Quando Noemi e Rute chegam a Belém toda a população ‘se alvoroçou’, ‘se comoveu’ (v. 19). A natureza da recepção oferecida às duas viúvas sugere que Noemi tinha algum vínculo com alguma família antiga naquela região. Noemi reflete a natureza humana em geral ao culpar Deus e não as escolhas pessoais ou a natureza pecaminosa pelos acontecimentos destrutivos e dolorosos pelos quais estava passando. Ela sugere, de forma inapropriada,  que as suas atuais condições são o resultado da ação punitiva de Deus.]

2. Rute atrai a atenção de Boaz. Rute era uma mulher trabalhadora. Não comia "o pão da preguiça" (Pv 31.27). Ao chegar a Belém, não esperou que Noemi sugerisse algum trabalho para sua manutenção. Ela tomou a iniciativa de procurar um serviço (Rt 2.2). Por direção de Deus, Rute foi rebuscar espigas no campo de Boaz, "que era da geração de Elimeleque" (Rt 2.3). Ao vê-la, Boaz perguntou ao chefe dos segadores quem era ela (Rt 2.5). O homem respondeu que era Rute, a moça moabita que voltou com Noemi (Rt 2.6). Encantado com a beleza da moça e admirado por sua história, Boaz falou benignamente a Rute; e disse que tomara conhecimento de seu gesto amoroso para com Noemi (Rt 2.8-13). Foi amor à primeira vista. [Comentário: Um dia, Boaz estava no campo, observando o trabalho dos ceifeiros, quando viu uma mulher colhendo as espigas que sobravam. Ele ficou impressionado com seu trabalho árduo e perguntou quem era (Rt 2.4-7). O capataz explicou que ela era Rute. Vendo a fidelidade dela, Boaz decidiu ajudar Rute, oferecendo-lhe trabalho, comida e proteção (Rt 2.11-12; 14-16). Por isso, Rute passou o resto da colheita trabalhando no campo de Boaz e recolhendo bastante comida para ela e a sogra. A história indica que Boaz era muito mais velho que Rute (Rt 3.10). Não existe informação se este homem já era casado ou viúvo, mas sabemos que era um homem de Deus. O Senhor era uma parte importante do seu dia a dia. Boaz pensava muitas vezes no Senhor, falava Dele abertamente e deixava-O tomar parte dos seus negócios. Ouça-o cumprimentando seus segadores no campo: “O SENHOR seja convosco!”, disse ele, e eles lhe responderam: “O SENHOR te abençoe!” (Rute 2:4). Para Rute, ele disse: “Bendita sejas tu do SENHOR, minha filha” (Rute 3:10); e depois: “eu te resgatarei, tão certo como vive o SENHOR” (Rute 3:13). Todas as pessoas presentes no seu casamento reconheceram a sua dependência do Senhor para a sua posteridade: rr“o SENHOR faça a esta mulher, que entra na tua casa, como a Raquel e como a Lia, que ambas edificaram a casa de Israel” (Rute 4:11). Extraído de: https://bible.org/node/23564.]

3. Rute casa com Boaz. Boaz procedeu de acordo com a lei, e diante das testemunhas e dos anciãos, casou-se com Rute. E declarou: "[...] também tomo por mulher a Rute, a moabita, que foi mulher de Malom, para suscitar o nome do falecido sobre a sua herdade, para que o nome do falecido não seja desarraigado dentre seus irmãos e da porta do seu lugar: disto sois hoje testemunhas" (Rt A.10). O povo que compareceu à cerimónia ficou feliz com o casamento (Rt 4.11,12). Assim, ela entrou na genealogia de Jesus (Mt 1.5). [Comentário: É interessante trazer aqui o que diz o Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia, de Norman Geisler e Thomas Howe: “RUTE 4.3-8 – O procedimento de Boaz e Rute não estaria em desacordo com a lei do levirato? PROBLEMA: Deuteronômio 25.5-10 delineia o que é conhecido como a lei do levirato. Se um homem morria e deixava sua esposa sem filhos, o irmão daquele homem era moralmente obrigado a casar-se com a mulher de seu irmão e gerar filhos no nome de seu irmão falecido. Essa prática assegurava que o nome de quem morria sem gerar filhos não ficaria sem descendência. Entretanto, Boaz não era irmão de quem tinha sido marido de Rute, e que falecera. Assim, o procedimento deles não estaria em desacordo com a lei do levirato? SOLUÇÃO: Embora tenha sido um caso um pouco mais complicado, o procedimento de Boaz, Noemi e Rute certamente não estava em desacordo com o que a lei do levirato estabelecia. O primeiro propósito do casamento pelo levirato era perpetuar a linha familiar daquele que morreu. Alguns fatores indicam que no tempo de Boaz e Rute já eram comuns alguns acréscimos ao que a lei do levirato originalmente estabelecera . Primeiro, se não havia um irmão vivo na família, então a obrigação do casamento ficava com o parente do sexo masculino mais próximo do falecido. No caso em questão, havia um parente mais próximo do que Boaz da família de Noemi. Entretanto, quando ele não aceitou o convite, Boaz tornou-se o homem com grau de parentesco mais próximo, enquadrando-se na condição de ser aquele que legalmente teria de cumprir aquela obrigação moral. Segundo, junto com a responsabilidade de gerar filhos no nome do falecido, havia ainda a responsabilidade de resgatar qualquer propriedade que pertencia ao que morrera e que tivesse sido vendida ou confiscada (Lv 25.25). Como o parente mais próximo não estava em condições de assumir tal responsabilidade (Rt 4.6), ele declinou desse direito e dessa responsabilidade de resgatar Noemi e casar-se com Rute, passando tais obrigações a Boaz. Nada há no resgate de Noemi nem no casamento de Boaz com Rute que esteja em desacordo com a lei do levirato.”]


SÍNTESE DO TÓPICO III

Rute, peia graça divina, veio fazer parte da linhagem do Messias.



SUBSÍDIO DIDÁTICO
"Rute era uma moabita, mas isto não a impediu de adorar o verdadeiro Deus, nem fez com que Ele rejeitasse e deixasse de abençoá-la grandemente. Os judeus não eram o único povo que Deus amava. O Senhor escolheu os judeus para serem o povo através do qual o resto do mundo viria a conhecê-lo, isto se cumpriu quando Jesus Cristo nasceu como um judeu. Através dele, o mundo inteiro pode conhecer a Deus. Atos 10.35 diz que 'lhe é agradável aquele que, em qualquer nação o teme e faz o que é justo'. Deus aceita todos os que o adoram; Ele opera através das pessoas, independentemente de sua raça, sexo ou nacionalidade. O livro de Rute é um exemplo perfeito da imparcialidade de Deus. Embora Rute pertença a uma raça frequentemente desprezada por Israel, ela foi abençoada por causa de sua fidelidade. Ela se tornou a bisavó do rei Davi e uma ancestral direta de Jesus. Ninguém deve se sentir desqualificado para servir a Deus por motivos de raça, sexo ou nacionalidade. E Deus pode usar toda e qualquer circunstância para edificar seu reino" (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 422).

CONCLUSÃO
A história de Rute demonstra de forma clara como Deus criou o homem, na perspectiva de um plano de salvação para todas as pessoas, em todos os lugares, independente de sua nacionalidade, de sua cor ou condição social. Pela lógica humana, jamais uma mulher moabita faria parte da linhagem santa, da qual nasceu o Messias de Israel, o Salvador do mundo. O amor de Deus está além de toda a compreensão humana. [Comentário: A soberania do nosso grande Deus é claramente vista na história de Rute. Ele guiou cada passo do caminho para que Rute se tornasse Sua filha e cumprisse o Seu plano de se tornar um ancestral de Jesus Cristo (Mt 1.5). Da mesma forma, podemos ter certeza de que Deus tem um plano para cada um de nós. Do mesmo jeito que Noemi e Rute confiaram que Deus cuidaria delas, assim também devemos fazer. Vemos em Rute um exemplo da mulher virtuosa de Provérbios 31. Além de ser dedicada à sua família (Rt 1.15-18; Pv 31.10-12) e fielmente dependente de Deus (Rt 2.12, 31.30), vemos em Rute uma mulher de discurso piedoso. Suas palavras são amorosas, gentis e respeitosas, tanto com Noemi quanto com Boaz. A mulher virtuosa de Provérbios 31 “Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua” (v. 26).] “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória. Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém”. (Judas 24-25),
Francisco Barbosa
Campina Grande-PB
Maio de 2017

PARA REFLETIR

A respeito de Rute, uma mulher digna de confiança, responda:
• Que significa o nome Rute?
O nome Rute significa "amizade".
• Por que os moabitas não podiam entrar na congregação de Israel?
Por não terem permitido o povo de Israel passar por suas terras, em direção a Canaã.
• Qual a diferença entre a decisão de Rute e a de Órfã quanto a Noemi?
Órfã chorou, beijou a sogra, e voltou aos seus deuses; Rute chorou, mas preferiu ficar ao lado de Noemi.
• Como Rute mostrou que se converteu a Deus?
Quando disse a Noemi:"[...] o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus".
• Que significado tem a inclusão de Rute, a moabita, na genealogia de Jesus?
Demonstra que Deus não é Deus apenas de Israel, mas é "Senhor do céu e da terra".


Fonte: O TEXTO DA LIÇÃO FOI COPIADO DE:
Revista Lições Bíblica de Adultos – CPAD / Reverberação: Subsídios EBD – Blog: sub-ebd.blogspot.com: https://sub-ebd.blogspot.com.br/2017/03/licao-7-rute-uma-mulher-digna-de.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário