Classe Virtual:

Data/Hora Atualizada

QUER FAZER MISSÕES?

QUER FAZER MISSÕES?
O Templo precisa ser concluído. Entre em contato com o Pastor daquela igreja e saiba como ajudar

24 de outubro de 2016

Lição 5: As Consequências das Escolhas Precipitadas



- Lição 5 -
30 de Outubro de 2016

As Consequências das
Escolhas Precipitadas

TEXTO ÁUREO

VERDADE PRÁTICA

"O longânimo é grande em entendimento, mas o de ânimo precipitado exalta a loucura." (Pv 14.29)


Não sejamos precipitados em nossas escolhas, pois a precipitação gera crises e erros irreparáveis.

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Pv 29.20
A precipitação é loucura e gera crise
Terça - Gn 13.10
A escolha precipitada de Ló leva à crise
Quarta - Gn 14.16
A escolha precipitada de Ló e o seu resgate

Quinta - Jó 12.13
Os conselhos de Deus nos livram das crises
Sexta - Sl 1.1-3
Meditar nos conselhos de Deus nos faz prosperar
Sábado - Pv 16.1
A resposta certa vem de Deus e nos livra das crises


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gênesis 13. 7-18
7 - E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os ferezeus habitavam, então, na terra.
8 - E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti e entre os meus pastores e os teus pastores, porque irmãos somos.
9 - Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; se escolheres a esquerda, irei para a direita; e, se a direita escolheres, eu irei para a esquerda.
10 - E levantou Ló os seus olhos e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem-regada, antes de o SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar.
11 - Então, Ló escolheu para si toda a campina do Jordão e partiu Ló para o Oriente; e apartaram-se um do outro.
12 - Habitou Abrão na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da campina e armou as suas tendas até Sodoma.

13 - Ora, eram maus os varões de Sodoma e grandes pecadores contra o SENHOR.
14 - E disse o SENHOR a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta, agora, os teus olhos e olha desde o lugar onde estás, para a banda do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente;
15 - porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente, para sempre.
16 - E farei a tua semente como o pó da terra; de maneira que, se alguém puder contar o pó da terra, também a tua semente será contada.
17 - Levanta-te, percorre essa terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a ti a darei.
18 - E Abrão armou as suas tendas, e veio, e habitou nos carvalhais de Manre, que estão junto a Hebrom; e edificou ali um altar ao SENHOR.

HINOS SUGERIDOS: 136, 151, 440 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
Mostrar que as escolhas precipitadas podem gerar crises em nossa vida.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I.      Especificar que é necessário ter cuidado com as escolhas;
II.     Compreender que Ló foi traído por aquilo que viu;
III.    Explicar porque Ló é um exemplo de prosperidade e perdas.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Você pede a orientação de Deus antes de tomar suas decisões e fazer suas escolhas? Então não terá dificuldade em trabalhar com seus alunos o tema da lição.
Uma escolha errada pode trazer prejuízos irreparáveis para a nossa vida. Ló, sobrinho de Abraão, é um exemplo bíblico dessa verdade. Ao se separar de seu tio ele escolheu um caminho que a seus olhos parecia ser o melhor. Ele não perguntou a vontade de Deus e não honrou Abraão, o chefe do clã, ao escolher primeiro as suas terras. Ló foi precipitado e seduzido pelo seu olhar. Não aja sem pensar e acima de tudo sem oração, pois Deus conhece todas as coisas. Ele sabe aquilo que é melhor.
Aproveite o tema da lição para ressaltar que as escolhas erradas podem trazer crises econômicas, espirituais e em diferentes áreas da nossa vida.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Deus chamou Abraão enquanto ele vivia em Ur dos Caldeus. O Senhor prometeu ao patriarca que sua descendência seria grande. Abraão pela fé partiu rumo à terra Prometida. Talvez ele devesse partir sozinho, mas levou seu pai e o seu sobrinho, Ló. Estes o acompanharam levando mulheres, filhos, servos, servas, gado e tudo quanto podiam carregar. Durante um bom tempo, Abraão e Ló caminharam juntos e unidos. Porém, as confusões e as brigas começaram a surgir entre os servos de Abraão e Ló. Na lição de hoje, veremos a discussão que levou Abraão a se separar do seu sobrinho Ló. Veremos também que o sobrinho de Abraão, Ló, em um gesto precipitado, tomou uma decisão que acabou por gerar uma crise terrível. [Comentário: Em Gênesis 12.1, aprendemos que Deus disse a Abrão para deixar sua terra natal, Ur dos caldeus, assim como sua família e seus parentes. A viagem de Abrão de Ur para Harã certamente não foi obediência a essa ordem, porque ele foi em companhia de seu pai, Terá, e seu sobrinho, Ló. Além disso, quando deixou Harã e foi, ao longo do território de Canaã, para o Egito, ainda estava em desobediência parcial. Nós o encontramos no Egito arriscando a perda de sua esposa, através de quem o descendente prometido, Isaque, viria. Notamos também que é através da providência de Deus que Sarai é preservada para Abraão e eles são guiados para fora do Egito (Gn 12.10-20). Quando Abraão retornou para Canaã em Gênesis 13, ainda não estava vivendo como Deus lhe disse, pois, ainda que tivesse deixado a terra de seus parentes, havia levado alguns deles consigo. Desse modo, Deus providencialmente separou-os, fazendo o fardo deles excessivo para a região os sustentar. Assim, Abrão habitou na terra de Canaã e Ló localizou seu lugar de morada nas planícies do Jordão e, finalmente, na cidade de Sodoma. Conforme lemos em Gênesis 13.14-18, parece que, quando Ló separou-se de Abrão, passou para um novo nível de relacionamento com Deus. Há algo aqui, entretanto, que deve ser observado por causa da exatidão e da continuidade escriturais. Ainda que Ló não devesse morar com Abrão, ele era diferente do restante dos parentes de Abrão. Encontramos Abrão lutando por Ló quando esse é tomado como escravo por um rei bárbaro (Gn 14.11-16). Devemos entender, também, que foi Deus quem libertou Ló, não o poder ou a experiência em luta de Abrão (Gn 14.14, 20). Não devemos pensar no ato de Abrão aqui apenas como mera ligação de parentesco ou no benefício de Deus como interesse de Abrão meramente. Digo isso porque, em Gênesis 18:23, quando Deus estava prestes a destruir Sodoma, Abrão intercedeu por Ló como por um homem justo, e Deus honrou aquela intercessão preservando Ló e suas duas filhas. Esse ponto de vista sobre a opinião de Deus de Ló é confirmado em 2Pe 2.6-8. Devemos também estar atentos de que, da relação pecaminosa de Ló com suas filhas, nasceram duas nações. São eles os Moabitas e os Amonitas (Gn 19.36-38). Ambos se tornaram um tropeço para Israel, como podemos ver em algumas passagens como Números 25.1-5. Todavia, vemos que Deus não permitiu sua destruição, ainda que fossem pessoas idólatras. Observe Deuteronômio 2.9,19. A nação de Moabe também foi o lar de Rute, a grande avó de Davi, e ela se tornou um elo vital na linhagem da aliança, da descendência até Cristo (Mt 1.5, Rt 4.10;18-22).Pr. Forrest Keener; http://www.palavraprudente.com.br/estudos/forrest_k/eventosvt/cap21.html] Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?


PONTO CENTRAL
A crise pode ser uma consequência das escolhas erradas que fazemos.

I - O CUIDADO COM AS ESCOLHAS

1. A prosperidade de Abraão. Deus fez de Abraão um homem próspero. Sua riqueza era resultado da sua obediência e confiança em Deus. Se Abraão não tivesse deixado Ur, obedecendo à voz divina, certamente não teria experimentado a provisão e a prosperidade do Senhor. A obediência a Deus nos faz prosperar. É importante ressaltar que o servo do Senhor não era um viajante solitário. Ele era o líder de um grande clã. Possuía muitos recursos e servos e servas. [Comentário: O historiador judeu Flavio Josefo em sua obra intitulada ‘História dos Hebreus - De Abraão à queda de Jerusalém’ (8ª edição: 2004; CPAD), escreve: “Lemos no quarto livro da história de Nicoiau de Damasco estas apropriadas palavras: "Abraão saiu com grande acompanhamento da terra dos caldeus, que está acima da Babilônia, reinou em Damasco e partiu algum tempo depois com todo o seu povo, estabeleceu-se na terra de Canaã, que agora se chama Judéia, onde a sua posteridade se multiplicou de maneira incrível, como direi mais particularmente em outro lugar. O nome de Abraão é ainda hoje muito célebre e tido em grande veneração na terra de Damasco. Vê-se aí uma aldeia que tem o seu nome e onde se diz que ele morou". Tomou-se um impedimento à convivência de ambos a falta de espaço. Tanto Abraão como Ló tinham rebanhos, vacas e tendas (Gn 13.5). E não tinha capacidade a terra para poderem habitar juntos, porque a sua fazenda era muita, de maneira que não podiam habitar juntos (Gn 13.6). E houve contenda entre os pastores do gado de Abraão c os pastores do gado de Ló (Gn 13.7). Abraão não queria de modo algum que a contenda entre os pastores viesse a gerar problema entre ele e seu sobrinho. Abraão zelava pelo bom testemunho deles diante dos povos em cujo meio peregrinavam.]

2. Abraão fez a escolha certa. Abraão deixou sua terra e sua parentela porque decidiu obedecer ao chamado de Deus. Embora não tivesse noção de para onde iria, decidiu confiar em Deus. Muitos estão enfrentando crises porque tomaram decisões sem consultar ao Senhor. Outros estão enfrentando dificuldades financeiras e familiares por desobediência a Deus. Contudo, é importante ressaltar que nem sempre as crises que enfrentamos são resultados da desobediência ou de escolhas precipitadas. Jó era um homem íntegro, obediente, porém experimentou terríveis crises em sua vida (Jó 1.1). Ele perdeu seus bens, seus filhos, sua saúde. Suas crises não foram resultado de decisões precipitadas. [Comentário: A vida humana é uma série de escolhas. Essas escolhas determinam nosso futuro. Ao longo de nossas vidas, vivenciamos uma série de escolhas ininterruptas, pois sempre, diariamente, nos colocamos diante de uma nova escolha a ser feita. Em nossas escolhas nos deparamos diante de dois pontos importantíssimos: agradar a Deus, escolhendo aquilo que Ele tem de melhor para nossas vidas ou, simplesmente, agradar a nós mesmos, nossa carne, nosso desejo e escolher aquilo que achamos ser bom para nossa vida. Por isso, as escolhas são, sempre, mais importantes. São as escolhas – e nunca a sorte – que determinam nosso destino. Sempre ouvimos dizer que as nossas escolhas atestam o nosso caráter e também que a direção para onde a nossa mente involuntariamente se move demonstra o tipo de pessoas que somos. O cristão que tem sua mente transformada, sendo “revestida do novo homem”, fará as melhores escolhas. Se formos cristãos carnais, onde o mais importante é agradar ao “eu”, nossas decisões e escolhas sempre irão contra ao que Deus quer para nós. No entanto, quantos cristãos hoje em dia, em sua ânsia de escolher aquilo que é certo, cometem erros. Quantos cristãos, por não conhecer o que diz a própria Palavra de Deus, fazem escolhas que lhes definham a alma (Salmo 106.15). Qual é o perigo que encontramos? É simplesmente o de escolher aquilo que aparentemente é bom, aquilo que não se vê nada contra, nada de errado, que por coincidência até se inúmera inúmeros pontos a favor e, portanto, parece ser o certo, no entanto, porém, não é a perfeita, a explícita vontade de Deus para nossas vidas. Por muitas vezes, no decorrer de nossas vidas, escolhemos o aquilo que é bom e não aquilo que é melhor. Parece uma contradição de termos não é mesmo? Quem em sã consciência escolheria aquilo que é bom no lugar do que é melhor? Quem faria tal loucura? Mas, a realidade é diferente e diariamente, inúmeros cristãos se deparam com esse tipo de escolha: o bom ao invés do melhor. Pr. Cleverson de Abreu Faria, Igreja Batista Salém, disponível em: http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ComDeus/EviteEscolherOBomInvesDoMelhor-CleversonFaria.htm]

3. Abraão passa pelo Egito. Abraão também enfrentou algumas crises em sua vida. Porém, manteve sua fé em Deus. Ele não permitiu que as adversidades da vida matassem a semente da promessa que havia sido plantada em seu coração. Na vida, enfrentamos adversidades, contudo a nossa fé nos faz ter esperança e vencer os obstáculos. Abraão teve que descer ao Egito devido à fome, mas depois retornou com muitos bens (Gn 13.2). O Senhor fez Abraão prosperar mesmo estando no Egito. Ele ainda não estava na terra da promessa. Isso nos mostra que não importa o lugar em que estamos, o Senhor nos faz prosperar. A nossa prosperidade vem do Senhor. [Comentário: Abraão, na direção de Deus. havia já percorrido uma grande parte da terra para a qual Deus o chamara. Até então não havia surgido qualquer problema, contudo as provações estavam para vir. Uma das maiores provas a que alguém pode ser submetido é a da falta de alimentos, a falta da subsistência. Todavia, para aquele que confia no Senhor, ela toma-se uma oportunidade do crente glorificar a Deus. Veja He 3.17-19. Diz a Bíblia: * *E havia fome naquela terra*' (Gn 12.10). Abraão, iniciante no caminho da fé. não tinha ainda enfrentado obstáculos e dificuldades na sua caminhada. Não tinha ainda experiência quanto à maneira de proceder quando as coisas começassem a aparecer contrárias. E a provação veio para o servo de Deus. Abraão possuía um grande rebanho que dependia de bons pastos, e a situação era realmente preocupante. Mas que contradição! Veio a seca e a consequente fome na terra da promessa! A situação de fome que passou a castigar a terra de Canaã colocou Abraão numa verdadeira encruzilhada: continuar a peregrinar na terra para a qual Deus o havia trazido, mas onde havia fome, ou fugir para o Egito à busca de uma solução. (SH) Não há na Bíblia evidência de que Deus tivesse orientado Abraão a peregrinar no Egito. Contudo está escrito: * *E desceu Abraão ao Egito para peregrinar ali" (Gn 12.10). Pelo menos duas vezes lemos na Bíblia acerca de pessoas que foram orientadas por Deus para irem ao Egito. Jacó, já velho, foi convidado por seu filho José para ir ao Egito. (SC) Deus apareceu a Jacó em visões de noite e disse: "Não temas descer ao Egito, porque eu te farei ali uma grande nação. E descerei contigo ao Egito..." (Gn 46.1- 5). No Novo Testamento encontramos a orientação dada por Deus a José de fugir para o Egito com Maria e o menino Jesus, a fim de escaparem da perseguição deHerodes(Mt2.13). No caso de Abraão, a decisão de descer ao Egito foi resultado de considerações humanas. Quem sabe a ideia partiu de Ló que era extremamente materialista. Lição 3: ABRAÃO DESCE AO EGITO, 20 de janeiro de 1991; EURICO BERGSTEN. Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 1991. CPAD. Abrão fez a coisa mais natural em sua época: “… desceu, pois, Abrão ao Egito, para aí ficar” (v. 10). É aqui que reside o problema. Não há nenhuma menção de que ele tenha procurado a vontade de Deus sobre a questão. Ele não negou a Deus; ele simplesmente se esqueceu do Altíssimo. Ele se esqueceu de como Deus é grande. Hughes, R. K. (2004). Genesis: beginning and blessing (p. 190–191). Wheaton, IL: Crossway Books.. O que Abraão precisava entender é que Deus está no controle das circunstâncias. Você está mais seguro em um período de crise no centro da vontade de Deus do que em um palácio longe de Sua vontade. Abraão falhou e afastou-se da vontade de Deus. Wiersbe, W. W. (1991). Be Obedient (p. 22). Wheaton, IL: Victor Books..]

SÍNTESE DO TÓPICO I
Precisamos ter cuidado com as escolhas que fazemos.

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
Professor, procure enfatizar neste tópico que "Deus disse a Abraão que deixasse a sua parentela e fosse para Canaã (Gn 12.1), mas o patriarca levou consigo seu sobrinho Ló. Entretanto, a separação de Ló foi necessária para assegurar as bênçãos materiais e espirituais prometidas por Deus a Abraão. Seus rebanhos cresceram bastante. Com isso, compartilhar pasto e água passou a gerar conflitos familiares. Logo fez-se necessária a separação entre tio e  sobrinho. Deus convida Abraão a peregrinar por toda a terra e declara: 'toda esta terra que vês te hei de  dar a ti e à tua semente, para sempre' (Gn 13.14-18)" (RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 34).

CONHEÇA MAIS
Sodoma, região escolhida por Ló
A tradição localiza Sodoma na extremidade sul do Mar Morto. A desolação e a esterilidade dessa região fornecem um testemunho do julgamento pelo 'fogo e enxofre' sofrido por este local. Evidências geológicas nessa região de formações de sal, asfalto, enxofre e petróleo confirmam o registro bíblico. A parte oeste da região está dentro das fronteiras da moderna Israel. A cidade de Sidom funciona como um resort de saúde e um campo de repouso. Uma montanha peculiar quase exclusivamente de puro sal identifica Sodoma, e os guias locais referem-se a ela como 'a mulher de Ló'." Para conhecer mais leia, Dicionário Bíblico Wycliffe, CPAD, p.1846.

II - LÓ É ATRAÍDO POR AQUILO QUE VÊ

1. Briga entre os pastores de Abraão e Ló. Ao deixar o Egito, Abraão seguiu com sua família para o norte. Ele acampou próximo a Betel e ali encontrou o altar que havia construído para o Senhor (Gn 13.3,4). Naquele lugar, Abraão invocou o nome do Altíssimo, pois era um homem grato a Deus. A ingratidão nos impede de ver as maravilhas de Deus. Tanto Abraão como Ló haviam prosperado, possuindo servos, ovelhas e gado. Mas aquela prosperidade gerou uma crise entre o tio e o sobrinho, pois não havia mais espaço suficiente na terra para ambos. Faltava água e pastagem para tantos animais, e em pouco tempo, os pastores de Abraão e Ló começaram a brigar. A contenda estava instalada na família, e era preciso tomar uma decisão. [Comentário: Abraão foi chamado para ir sozinho a Canaã, (SH) pois a sua chamada não se referia apenas à salvação de sua alma. Havia ainda uma chamada específica: Abraão seria feito uma grande nação. Deus queria levantar uma grande nação e estava levantando o patriarca para ela. Neste empreendimento Ló não tinha nenhuma participação. A chamada era para Abraão, e a presença de Ló viria a ser bastante prejudicial ao futuro patriarca de Israel. Após a partida de Ló para a região que escolhera, Abraão finalmente entrou no trilho da obediência integral à ordem que Deus lhe dera de deix ar não só a sua terra, mas também a sua parentela. Fica bem claro nesta experiência que não existem detalhes insignificantes numa ordem dada por Deus. Tudo é importante, e tudo deve ser obedecido. Abraão precisou consertar uma falha na sua obediência. Será que nós também temos uma necessidade semelhante? Será que temos plena certeza de estarmos obedecendo a Deus à risca? O salvo deve ter * *purificada a sua alma na obediência à verdade** (l Pé l .22), pois é eleito * 'para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo*' (l Pé l.2). Nunca devemos nos sentir tranquilos se estivermos vivendo alguma desobediência, ou abrigando algum vício. Aprendamos com Abraão. Ele se consertou com Deus. Não sejamos rebeldes: ** Porque a rebelião é como pecado de feitiçaria". Fujamos, pois, de todo pecado. Sigamos nas pisadas de nosso pai Abraão! Lição 4: ABRAÃO E LÓ SEPARAM-SE, 27 de janeiro de 1991; EURICO BERGSTEN. Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 1991. CPAD]
2. A decisão de Abraão. O patriarca logo tentou resolver a situação conflituosa. Ele não adiou o problema, mas chamou seu sobrinho para uma conversa. Abraão mostrou querer uma solução pacífica para a situação ao sugerir que cada um deveria escolher o próprio caminho. [Comentário: Abraão havia recentemente renovado o altar do Senhor (Gn 13.4). Certamente ele se sentiu impulsionado a completar a obediência total diante de Deus, para assim desfrutar de modo pleno das bênçãos prometidas na sua chamada inicial. Sem constrangimento disse Abraão a Ló: "Não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque irmãos somos. Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois. aparta-te de mim; se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda" (Gn 13.8-9). Abraão, sendo o mais velho e o líder desta peregrinação em Canaã, por direito poderia ter escolhido primeiro, mas deixou que Ló o fizesse. Abraão era homem de fé, e a * * fé opera por amor" (Gl 5. 6). O amor não busca o seu interesse (l Co 13.5). Na sua fé em Deus, Abraão confiava que Deus ia tomar a frente dele e de sua esposa não só quanto àqueles problemas então presentes, mas também nos tempos que estavam por vir. E os que confiam no Senhor não serão confundidos (Is 49.23). Lição 4: ABRAÃO E LÓ SEPARAM-SE, 27 de janeiro de 1991; EURICO BERGSTEN. Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 1991. CPAD ]
3. A escolha precipitada de Ló. Abraão, em um gesto de bondade e mansidão, fez a seguinte proposta ao sobrinho: "Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; se escolheres a esquerda, irei para a direita; e, se a direita escolheres, eu irei para a esquerda" (Gn 13.9). Parece que Ló não pensou muito. De forma precipitada, fez a sua escolha optando por aquilo que parecia ser melhor aos seus olhos (Gn 13.10). Ele não buscou a Deus para tomar a decisão. Também não honrou seu tio deixando que ele escolhesse primeiro. Ló foi seduzido pela aparência do lugar. Essa história nos deve servir de exemplo: Não tome decisões ou faça escolhas sem consultar ao Senhor. Não julgue as pessoas pela aparência. Parecia que Ló havia ficado com a melhor parte, mas ele não podia ver o coração perverso dos habitantes daquele lugar. O homem vê somente o exterior, mas Deus conhece o interior das pessoas. [Comentário: Ante a proposta generosa de Abraão, diz a Bíblia: "Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão, e partiu Ló para o oriente, e apartaram-se um do outro" (Gn 13. 11). Não houve um rompimento entre eles. Não houve uma separação brusca, tão-somente Ló deixou a companhia de Abraão para viver a sua vida particular em região de sua própria escolha.
l. A escolha materialista de Ló. A escolha de Ló só levou em conta vantagens materiais. A vida que havia levado até então na terra de Canaã tinha sido aquela de peregrinos e forasteiros. Moravam em tendas. Talvez Ló almejasse estabelecer-se de modo mais permanente. E as campinas bem regadas que havia escolhido, eram muito promissoras. Certamente uma bela escolha, dentro de uma visão puramente material. (SD)
Ló esqueceu-se de avaliar as consequências espirituais de sua escolha. * *0ra, eram maus os varões de Sodoma. e grandes pecadores contra o Senhor** (Gn 13.13). Certamente Ló conhecia estas características dos habitantes de Sodoma, mas as vantagens materiais eram irresistíveis. Assim, **LÓ habitou nas cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma** (SÁ) (Gn 13.12).
2. Consequências da escolha de Ló. Ló e toda a sua família foram bastante prejudicados pela escolha feita. Vejamos:
a) Armou as suas tendas até Sodoma. Ló, depois de armar as suas tendas até Sodoma, passou a habitar naquela cidade (Gn 14.12). Mais tarde, passou a assentar- se à porta da mesma, lugar das autoridades municipais (Gn 19.1).
b) Perdeu a autoridade sobre a esposa. A mulher de Ló envolveu-se de tal forma com a sociedade de Sodoma, que quando os anjos, quase arrastado-a para fora da cidade, para livrá-la da destruição iminente, lhe ordenaram que não olhasse para trás ela desobedeceu e ficou convertida em uma estátua de sal (Gn 19.16.26; Lei 7.32).
c) Suas filhas se corromperam. A? filhas de Ló, por ocasião da destruição de Sodoma, tinham contratado casamento com pessoas que consideraram Ló um zombador quando este os avisou da destruição da cidade e queria salvá-los dela (Gn 19.14). Já salvas da destruição, as filhas de Ló mostraram que tinham assimilado a devassa moral de Sodoma (Gn 19.31-38).
3. Uma advertência sempre atual. O exemplo de Ló é, para nós, uma séria advertência. Jesus disse: "Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló... assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar*' (Lc 17. 28-30). Vivemos às vésperas do Arrebatamento, e precisamos atentar para o exemplo de Ló. o qual fez as suas escolhas pensando em vantagens materiais. Jesus deu-nos um aviso muito sério: * * Olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia" (Lc21.34). Lição 4: ABRAÃO E LÓ SEPARAM-SE, 27 de janeiro de 1991; EURICO BERGSTEN. Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 1991. CPAD]

SÍNTESE DO TÓPICO II
Não seja atraído somente por aquilo que você vê.

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
De acordo com os costumes da época, a solução do problema teria sido bastante simples. O líder do clã implementaria a solução que protegesse os próprios interesses com pouca consideração aos interesses do concorrente. Mas Abraão preferiu dar a vez ao sobrinho. Insistiu que Ló se apartasse do círculo da família de Abraão, mas deu ao homem mais jovem a opção de escolher a região da Palestina para apascentar seus rebanhos.
Do lugar onde estavam acampados perto de Betel, o vale do Jordão lhes seria visível a leste. Ló escolheu ir nessa direção. Em torno de Jericó, como hoje, os campos eram pontilhados de muitas fontes, e no lado sudeste do mar Morto ribeiros de águas descendo dos altiplanos irrigavam os campos férteis. A região era tão verdejante que dois símbolos de fertilidade, o jardim do Senhor e a terra do Egito, foram as únicas expressões adequadas para descrevê-la. Isto estava em nítido contraste com a terra seca da região montanhosa da Palestina.
Neste ponto, Ló não sabia do destino que se abateria sobre a terra que ele acabara de adotar. Mas a história recebe um clima de suspense com a observação de que Sodoma e Gomorra seriam destruídas. Sodoma é mencionada como cidade prejudicial à moral, pois eram maus os varões de Sodoma e grandes pecadores contra o Senhor" (Comentário Bíblico Beacon. 1.ed. Vol 1.Rio de Janeiro: CPAD, 2005, pp. 59,70).

III - LÓ, UM CASO DE PROSPERIDADE E PERDAS

1. Ló e suas riquezas. Ló também foi abençoado e se tornou um homem próspero. Certamente possuía muitos servos, servas e um grande rebanho. A separação entre Ló e Abraão era algo inevitável, porém a forma como se deu não foi das melhores. Tudo indica que Ló ficou deslumbrado com a fertilidade da terra, tomando uma decisão precipitada e não honrando seu tio. Não se deixe enganar pela beleza das coisas desse mundo passageiro. Não abra mão daquilo que é eterno. [Comentário: Abraão e seu sobrinho Ló adquiriram muito gado, servos e riquezas, os dois, Abrão (13.2) e Ló (13.5), tinham prosperado. Suas manadas e rebanhos se tornaram tão grandes que eles não podiam mais viver juntos (13.6). Esta era uma realidade entre as tribos nômades que precisavam estar sempre se deslocando à procura de pasto para as ovelhas e para o gado. Assim, seus empregados estavam se desentendendo, causando atritos entre os próprios Abraão e Ló, talvez isto esteja implícito nas palavras de Abrão no versículo 8. O que também seria verdade. Sempre que há desentendimento entre os seguidores, com muito mais freqüência há também entre os líderes. Abraão propõe a separação, com uma atitude nobre: mesmo sendo o tio e mais velho, deixou que Ló escolhesse para onde queria ir. Abraão iria para o lado oposto. Ló foi egoísta e deselegante ao aceitar a proposta. Era para ter deixado o tio escolher. Para piorar, Ló tomou uma decisão egoísta e material: escolheu uma terra linda, bem regada, altamente propícia para criar o seu gado e ganhar mais dinheiro. Mas se ficasse só nisso, ainda não seria tão grave. Mas foi sendo atraído para uma verdadeira desgraça: a cidade de Sodoma. O v. 13 é sombrio, causa um arrepio. É como se preparasse o leitor para ler uma história muito triste de Ló, dali para frente.]
2. A guerra dos reis. A terra que Ló havia escolhido era boa, mas seus vizinhos não eram. Não demorou muito e Ló teve que enfrentar uma grande crise, uma guerra. Decisões precipitadas podem nos fazer viver tempos conturbados. Quatro reis decidiram atacar Sodoma e Gomorra (Gn 14.8). Ló foi levado cativo e todos os seus bens e alimentos foram tomados como espólio de guerra. Ele agora era um prisioneiro e todos os seus bens foram perdidos. [Comentário: Durante 12 anos cinco reis da planície de Sodoma haviam sido tributário do rei Quedorlaomer. Sabendo que este rei, juntamente com outros três aliados. estava em campanha militar contra nações que habitavam nas redondezas, os cinco reis da planície resolveram aproveitar a ocasião para libertarem-se da opressão, e saíram para guerrear contra ele (Quedorlaomer) e seus aliados. No confronto militar, os reis da planície de Sodoma ficaram em desvantagem. Os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram. Suas cidades foram despojadas e seus habitantes levados cativos, inclusive Ló e sua família.]
3. Abraão socorre Ló. Quando a notícia de que Ló estava cativo chegou até Abraão, ele imediatamente partiu para ajudar o sobrinho. Abraão poderia ter se negado a ajudar Ló, pois ele mesmo tinha escolhido aquelas terras. Mas o amigo de Deus não tinha um coração rancoroso, vingativo. Ele reuniu seus criados, formando um pequeno exército, perseguiu o inimigo, o alcançou e o derrotou, libertando seu sobrinho e recuperando os seus bens. Tudo que pertencia a Ló foi recuperado (Gn 14.16). Embora Ló tivesse tomado uma decisão errada, o Senhor não permitiu que seus bens e sua família ficassem na mão do inimigo. Mais tarde, a cidade de Sodoma foi destruída pelo fogo do julgamento divino, e Ló perdeu o que tinha. [Comentário: Um homem que escapara da batalha veio a Abraão e contou-lhe o que acontecera. E Abraão sentiu necessidade de levar a sua ajuda a seu parente em perigo. Como prisioneiro de guerra Ló poderia até ser vendido como escravo. Ló sofria as consequências da escolha que fizera... Neste acontecimento, também, Abraão deu o exemplo de crente fiel. Diz a Escritura: "Mas se alguém não tem cuidado dos seus. e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel” (1Tm 5.8). Abraão se prontificou a ajudar, mas esta tarefa era muito difícil. Seus recursos eram pequenos, seus homens poucos em relação ao exército inimigo. Mas certamente ponderou como Jônatas se expressou séculos mais tarde: "Porventura obrará o Senhor por nós. porque para com o Senhor nenhum impedimento há para livrar com muitos ou com poucos” (1Sm 14.6). Ao tomar conhecimento do que havia acontecido com Ló, Abraão não ficou indeciso quanto ao que deveria fazer. Diz a Escritura: "Armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã” (Gn 14.14). Acompanharam-no três confederados: Escol, Manre e Aner. Usou a estratégia de dividir seus poucos homens em vários grupos e fazê-los todos, simultaneamente, atacar o acampamento inimigo à noite (Gn 14.15). Tirou portanto proveito da surpresa e da escuridão. O exército dos quatro reis foi derrotado e fugiu. Dos quatro reis alguns morreram (Hb 7.1). “Assim, Abraão lutou contra os opressores e obteve vitória e tomou a trazer toda a fazenda, e tomou a trazer também a Ló, seu irmão, e a sua fazenda, e também as mulheres, e o povo"(Gn 14.16).]

SÍNTESE DO TÓPICO III
Ló é um exemplo, para os crentes, de prosperidade e perdas.

SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO
Levantou Ló os seus olhos (Gn 13.10)
As Escrituras declaram que 'o SENHOR não vê como vê o homem' (1 Sm 16.7). Ló viu somente a campina bem regada de Sodoma. Deus viu os habitantes daquela cidade como 'grandes pecadores' que eram. Ló, ao deixar de discernir e aborrecer o mal, trouxe morte e tragédia a sua própria família.
A grande falha de Ló foi amar as vantagens pessoais, mais do que abominar a iniquidade de Sodoma.
(1) Se ele tivesse amado profundamente a retidão, isso o manteria separado dos maus caminhos e daquela geração ímpia. Ele, porém, tolerou o mal e optou por morar na cidade decaída de Sodoma. Talvez tenha raciocinado que as vantagens materiais, a cultura e  os prazeres de Sodoma compensariam os perigos, e que ele tinha forças espirituais suficientes para permanecer fiel a Deus. Com isso em mente, ele juntamente com sua família, ficaram expostos à imoralidade e à impiedade de Sodoma. Só, então, ele aprendeu a amarga lição de que sua família não era forte o suficiente para resistir às influências malignas de Sodoma.
(2) Os pais de família devem tomar cuidado para não se envolverem de igual modo, nem a seus filhos, com nenhuma 'Sodoma', para  não se arruinarem espiritualmente, como aconteceu à família de Ló" (Bíblia de Estudo Pentecostal.  Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p.52).

CONCLUSÃO
Escolhas precipitadas, feitas somente pela aparência, podem causar muitos males. Antes de tomar qualquer decisão, ore ao Senhor. Peça o seu conselho, pois Ele conhece o coração do homem e sabe aquilo que é realmente melhor para nós. [Comentário: Quando Abrão fez a oferta a Ló, parece que os dois estavam em um lugar alto, de onde podiam avistar toda a terra ao seu redor. A decisão de Ló foi friamente calculada. Com olhos de um avaliador, ele examinou a terra, pesando as vantagens e desvantagens das opções. Quando aprendemos a andar com Deus somos os mais felizes dos homens. Quando o contrário acontece, somos os piores dos homens da terra. Aprender a andar com Deus e ouvir a voz de Deus é uma lição que deve ser aprendida diariamente, sempre. Nunca será uma tarefa fácil, no entanto, a recompensa não tem preço para os que se empenham em ser aquilo que Deus quer que sejam. Como podemos ser sensíveis ao sussurrar de Deus em nossas vidas? Como podemos tomar decisões acertadas, guiadas por Deus? Qual direção tem seguido sua vida? Tem seguido pelos caminhos de Deus ou por seus próprios caminhos? Tem feito escolhas que lhe agradam ou agradam a Deus? Observamos a vida de Ló, filho de Harã, sobrinho de Abraão. Nos dias de hoje, sempre há pessoas que seguem pelo mesmo caminho que Ló seguiu. Não querem sair do mundo, não querem separação e, com isso, cada vez mais “armam suas tendas para Sodoma”. Querem caminhar com Deus e com o mundo. Nos fins de semana querem louvar a Deus, mas durante a semana vivem para si. “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” (Tg 4.4).] “NaquEle que me garante: "Pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus" (Ef 2.8)”,
Francisco Barbosa
Campina Grande-PB
Outubro de 2016

PARA REFLETIR
A respeito da provisão de Deus no monte do sacrifício, responda:
A respeito das consequências das escolhas precipitadas, responda:
1. A prosperidade de Abraão era resultado de quê?
De sua riqueza, obediência e confiança em Deus.
2. Por que Abraão teve que descer ao Egito?
Devido a uma grave crise de alimentos.
3. Por que Abraão e Ló tiveram que se separar?
Porque não havia mais espaço suficiente na terra para ambos. Faltava água e pastagem para tantos animais.
4. Ló foi sábio em sua escolha ou ele foi precipitado?
Ló foi precipitado em sua escolha. Ele não honrou o seu tio como patriarca e não consultou ao Senhor.
5. O que Abraão fez quando soube que Ló havia sido capturado e levado cativo?
Ele imediatamente partiu para ajudar o sobrinho.

Fonte: Lições Bíblicas adultos – CPAD / Divulgação: www.sub-ebd.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário