Classe Virtual:

Data/Hora Atualizada

29 de junho de 2017

JOVENS - Lição 1: Tempo para todas as coisas



LIÇÕES BÍBLICAS CPAD JOVENS
Título: Tempo para todas as coisas — Aproveitando as oportunidades que Deus nos dá
Comentarista: Reynaldo Odilo


- Lição 1 -
2 de Julho de 2017

Tempo para todas as coisas

TEXTO DO DIA

SÍNTESE
“E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos” (Gn 1.14).

Deus criou o tempo (chronos) e seu objetivo era poder se relacionar com a raça humana.
.
AGENDA DE LEITURA
Segunda - Sl 39.4
A brevidade da vida
Terça - Ec 9.12
O homem que não conhece o seu tempo
Quarta - Et 4.14
Aproveitando o tempo de Deus

Quinta - Gl 6.10
Enquanto temos tempo, façamos o bem
Sexta - Ef 5.15,16
Otimizando o tempo
Sábado - Sl 31.15
O tempo está nas mãos de Deus

OBJETIVOS
             APRESENTAR o conceito de tempo, sua origem, importância e implicações;
             EXPLICAR que Deus não está sujeito às regras temporais;
             MOSTRAR o sentido da vida no tempo, de maneira a poder conhecê-lo e aprender a contá-lo.

INTERAÇÃO
Caro professor, neste trimestre estudaremos a respeito do tempo. Você verá que as lições de 1 a 8 têm um enfoque prático e devocional, mas voltadas para a vida cristã saudável. Já as lições de 9 a 13 são mais apologéticas. Seus alunos terão uma grande oportunidade de compreender a vontade do Senhor na administração do tempo. Que possamos fazer uso do nosso tempo com sabedoria para que venhamos alcançar corações sábios.
O comentarista é o pastor Reynaldo Odilo Martins Soares, juiz de direito, bacharel em Direito pela UFRN, pós-graduado em Direito Processual pela UnP, mestre e doutorando pela Universidade do País Basco (Espanha) e autor do livro “Eu e Minha Casa” (editado pela CPAD).

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Querido professor, você foi escolhido por Deus para o ministério do ensino, portanto, considere-se privilegiado. O Senhor confiou a você a tarefa de contribuir, de forma significativa, com a formação espiritual de uma pequena parte de seus filhos. Quanta responsabilidade! No entanto, apesar do imenso desafio inerente a essa tarefa, somado às muitas atividades do dia a dia, até aqui o Senhor tem o fortalecido. Creia que neste trimestre não será diferente. Dedique-se ao seu ministério e invista nele. O Mestre dos mestres é o maior interessado no êxito desta obra e Ele lhe ajudará a, num mundo em que as pessoas valorizam apenas o que é instantâneo, falar sobre “tempo para todas as coisas”! Inspire-se! Você será o instrumento de Deus para ensinar que não se deve querer atrasar ou apressar o kairós.

TEXTO BÍBLICO
Eclesiastes 3.1-8.
1 Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu:
2 há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;
3 tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar;
4 tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar;

5 tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar;
6 tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora;
7 tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar;
8 tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.

COMENTÁRIO DA LIÇÃO
INTRODUÇÃO
Os céus e a terra, e tudo quanto neles existem, pertencem ao Senhor (Dt 10.14; Jó 41.11). No que diz respeito ao tempo, essa assertiva se torna ainda mais forte, uma vez que o homem não pode produzir, ou reter, um único momento do seu tempo. Cada minuto da vida é um presente do Criador. Deus dá a todos apenas a mordomia sobre o tempo, ofertando-lhes oportunidade de realizar todas as coisas. No fim de tudo, porém, o Senhor pedirá contas pelo gasto equivocado do tempo. [Comentário: Do latim tempus, a palavra tempo é a grandeza física que permite medir a duração ou a separação das coisas mutáveis/sujeitas a alterações (ou seja, o período decorrido entre o estado do sistema quando este apresentava um determinado estado e o momento em que esse dito estado registra uma variação perceptível para o observador). Esta grandeza, cuja unidade básica é o segundo, permite ordenar os sucessos em sequências, estabelecendo assim um passado, um presente e um futuro. O tempo dá lugar ao princípio de causalidade, que é um dos axiomas do método científico. Conceito de tempo - O que é, Definição e Significado http://conceito.de/tempo#ixzz4lCVVQyx5. O termo tempo compreendido pelo homem carnal é o tempo “Chronos” cronológico, o do relógio, o da competitividade. O tempo de Deus é “Kairós” e não está limitado a uma ação humana. O Salmo 40 lembra-nos uma ilustração de Davi. Davi foi ungido muito jovem como rei de Israel, mas houve um tempo de espera para assentar-se no trono. Nesse espaço de tempo ocorreram muitos obstáculos e provações, um tempo para o amadurecimento.]Dito isto, vamos pensar maduramente a fé cristã?

I. O TEMPO E SUAS IMPLICAÇÕES

1. Considerações preliminares. Após a criação (Gn 1.1), Deus estabeleceu um tempo para todas as coisas debaixo do sol (Ec 3.1). Ele tem um propósito para todas as suas obras, pois não faz nada ao acaso. Na eternidade, onde Deus habita (Is 57.15), não se mede o tempo como nós medimos. O Senhor pode, simultaneamente, responder as orações de milhões de pessoas (Jr 33.3), dar comida aos corvos (Lc 12.24), fazer maravilhas (Sl 72.18), e ainda compadecer-se e abençoar o parto das cabras monteses, bem como das gazelas nas savanas africanas (Jó 39.1-3), dentre muitas outras tarefas espalhadas por todo o imenso universo de aproximadamente trezentos bilhões de galáxias. Mas isso não é nada para o Todo-Poderoso, o qual é o Pai da eternidade. [Comentário: Interessante a afirmativa “Na eternidade, onde Deus habita (Is 57.15), não se mede o tempo como nós medimos.”; o tempo só é real, só existe dentro da criação, em termos bíblicos no espaço compreendido entre o “No princípio” de Gênesis e o “Maranta!” de Apocalipses. Não se mede tempo na eternidade, sendo ela a característica, o atributo, a qualidade do que não tem início ou fim. É a duração que não tem começo nem fim, que prescinde de qualquer determinação cronológica. Eternidade é um eterno presente! Assim, é estranha a afirmativa “Na Eternidade... não se mede o tempo como nós medimos”. Seria melhor explicado se diferenciasse o tempo para a ação de Deus e o tempo que o homem está sujeito – Kairós e Chronos. Em relação ao tempo Chronos, o que mais precisamos é nos adaptar ao tempo, ver nele um aliado para podermos viver da melhor forma possível, estar sempre pedindo a Deus que nos oriente quanto ao nosso tempo. “Todas as coisas estão cheias de cansaço; ninguém o pode exprimir: os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir. O que tem sido isso é o que há de ser; e o que se tem feito, isso se tornará a fazer; nada há que seja novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? ela já existiu nos séculos que foram antes de nós. Já não há lembrança das gerações passadas; nem das gerações futuras haverá lembrança entre os que virão depois delas.” (Ec 1.7-11).]


2. A origem do tempo (chronos). A partir do século XX, com o surgimento da teoria do Big Bang, a maioria dos cientistas passou a defender que o universo teve um marco inicial há mais de 13 bilhões de anos, quando um “átomo primordial” teria explodido, dando origem a tudo. Porém, inexistem dados aferíveis cientificamente que comprovem a hipótese do Big Bang, como também não há revelação bíblica que indique a ocorrência de uma grande explosão no passado remoto, que tivesse liberado energia criadora. No entanto, tanto a Bíblia como a ciência concordam que o universo teve um início. Assim, se houve um início para o universo, é inegável admitir que existiu uma época — antes de Gênesis 1.1 — em que não havia matéria, nem espaço para a conter, como também não havia tempo a ser contado (chronos). Era apenas a eternidade. Então, Deus decidiu criar todas as coisas, submetendo-as às regras do tempo. [Comentário: A palavra eterno significa "perpétuo, sem começo e sem fim." Salmo 90:2 nos diz sobre a eternidade de Deus: "Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus." Já que os seres humanos usam o tempo para medir tudo, é muito difícil conceber o conceito de algo que não teve começo, tem sempre existido e sempre existirá. No entanto, a Bíblia não tenta provar a existência de Deus ou a Sua eternidade, mas apenas começa com a frase "No princípio Deus..." (Gênesis 1:1), indicando que no início do tempo registrado, Deus já existia. A duração que se estende sem limite ao passado e a duração sem limite ao futuro, de tempos eternos a tempos eternos, Deus foi e será para sempre https://www.gotquestions.org/Portugues/Deus-eterno.html. Deus criou a partir do nada, um lugar fora Dele mesmo. Essa expansão, dimensão, Ele chamou de shamaim (firmamento, céus). Ele encheu esse lugar com substância, matéria chamada eretz (terra). A isso chamamos de criação "Ex nihilo", termo latim para "do nada", refere-se a Deus criando tudo a partir do nada. No início, Deus criou os céus e a terra (Gn 1.1). Antes desse momento, não havia nada. Deus não fez o universo dos blocos de construção preexistentes. Ele começou do zero. Se a Eternidade existe, existe porque Deus lhe deu a existência. Ainda antes de haver o tempo, Ele estabeleceu o Seu tempo.]

3. Importância do tempo. A importância do tempo (chronos) se dá, dentre outras coisas, pela necessidade do estabelecimento de ciclos para todas as obras formadas, bem como para que o homem, a obra prima da criação, pudesse conhecer e buscar a Deus. [Comentário: O tempo é tão importante para a vida do ser humano que ele foi o primeiro dom da Criação. Quando Deus diz “Haja luz, e houve luz” e “... tarde e manhã e dia” (Gn 1.3,5), Deus está estabelecendo os tempos. Deus mostra a importância do tempo quando nos deixa um capítulo inteiro em Sua Palavra para falar acerca do tempo. O capítulo 3 de Eclesiastes começa falando que há tempo para tudo, e um tempo para cada propósito debaixo do céu. Que há tempo para plantar, tempo para colher; tempo para chorar e tempo para se alegrar; tempo de falar e tempo de calar; tempo de viver e tempo de morrer; tempo de amar e até tempo de odiar.]

Pense!
O tempo para Deus seria uma opção ou uma condição imposta?

Ponto Importante
Deus é Criador e Senhor do tempo, do espaço e da matéria e, por isso, Ele não está sujeito a nenhuma das limitações e contingenciamentos deste mundo

II. DEUS E O TEMPO

1. A atemporalidade de Deus. A Bíblia afirma que Deus é atemporal. Ele é Deus de eternidade a eternidade, ou seja, não teve início e nem terá fim (Sl 90.2). Nem mesmo todo o universo pode contê-Lo (2Cr 6.18). Ademais, Ele não pode ser provado empiricamente porque nunca foi criado e, portanto, não teve início. Então, como o Criador poderia se relacionar com os homens, tão finitos, para salvá-los? Para resolver este problema, Ele enviou o seu Filho Unigênito (Jo 3.16). O Verbo se fez carne (homem) e habitou entre nós. A encarnação de Jesus era a única forma da imagem de Deus se tornar tangível por um tempo, para que os seres humanos “vissem, contemplassem e tocassem da Palavra da Vida” (1Jo 1.1,2), e assim fossem conduzidos à salvação. [Comentário: Eternidade é a ausência total de tempo e de qualquer coisa relacionada com o tempo. Como resultado, toma-se a eternidade divina como significando que Deus é totalmente e completamente desvinculado e alheio a qualquer realidade temporal ou histórica. As consequências de uma ideia como essa permeiam e condicionam toda a concepção clássica da natureza e dos atos divinos. O tempo divino é qualitativamente diferente do nosso tempo, não no sentido de negar o tempo, mas de incorporá-lo e excedê-lo. Vivenciamos o tempo, por exemplo, como uma mensuração de nossa transitoriedade, ao passo que, em Sua eternidade, Deus vivencia o tempo sem esse caráter transitório (Sl 103.15-17; Jó 36.26). Paulo nos diz que o plano da salvação foi elaborado "antes da fundação do mundo" (Ef 1.4). "Antes" pressupõe claramente o tempo anterior à criação. A afirmação paulina de que o plano da salvação esteve, "desde os séculos , oculto em Deus, que criou todas as coisas" (Ef 3.9), aponta para a eternidade passada, como abrangendo o tempo como uma característica da eternidade de Deus.]

2. Relacionando-se no tempo com uma pessoa atemporal. A partir de Jesus, os homens puderam ver, enfim, a glória de Deus. Antes, se vissem, morriam, pois o finito não pode conter, e nem ao menos ver, o Infinito (Êx 33.20). Jesus, o Filho de Deus, para vir ao mundo precisou “aniquilar-se” a si mesmo, fazendo-se semelhante aos homens (Fp 2.7). A Bíblia mostra que Deus é completamente ilimitado em relação ao tempo, não seguindo, portanto, o calendário humano, pois, para Ele, mil anos são como “o dia de ontem” ou a “vigília da noite” (Sl 90.4). Precisamos entender que Deus tem o seu tempo para agir. Ele não se adianta ou chega atrasado. Como filhos precisamos aprender a confiar nEle, independentemente do tempo. [Comentário: Falando um pouco sobre esse “aniquilar-se”, a excelente "Almeida Corrigida e Revisada e a Fiel", traduz kenoo por "esvaziou", mas isto pode levar a doutrinas errôneas; devemos entender "esvaziou-se a si próprio" apenas no sentido de se fazer de nenhuma fama ao tomar a forma de servo. Cristo encarnado continuou sendo Deus. Há grave erro no ensino que: "Cristo, enquanto aqui na terra, voluntariamente despiu-se, ficou sem seus atributos relativos de divindade (onisciência, onipotência, onipresença), enquanto retendo seus atributos imanentes (santidade, amor, verdade)". Os argumentos contrários a esta teoria são:
- Isto implicaria que Cristo, enquanto aqui na terra, ficou algo menos que pleno, real Deus. Mas nem por 1 segundo Cristo foi (nem é, ou será) sequer 1 mm menos que 100% Deus! Jo 1:1; 2Co 4:4; Cl 1:15; 2:9; He 1:3. Ver também 3.7 - "A Divindade do Filho", no nosso curso de Cristologia.
  João 1:1: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus."
  2Co 4:4: "Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus."
  Cl 1:15: "O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;"
  Cl 2:9: "Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade;"
  Heb 1:3: "O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;" Leia mais sobre a doutrina da Kenosis em http://solascriptura-tt.org/Cristologia/Kenosis-EsvaziamentoDeCristoFp2-5-11-Helio.htm. Existe um Kairós específico dentro da vida do ser humano que é o Kairós de Deus. O Kairós de Deus é quando Deus invade o Chronos e estabelece o seu propósito nele. É quando tudo na vida do ser humano começa a fazer sentido. Deus estabelece o seu Kairós através do cumprimento das promessas que um dia Deus fez a mim e a você. Mas precisamos entender algo: toda promessa que Deus faz vai percorrer um tempo cronológico (Chronos) até que ela se cumpra no tempo determinado por Deus (Kairós). Não importa quanto tempo essa promessa demore a se cumprir, ela se cumprirá no tempo específico de Deus. (Ec 3.1; 11; Gl 4.4). http://falandodecristo.blogspot.com.br/2014/12/estabelecendo-o-kairos-de-deus.html]

3. Kairós X Chronos. Kairós é uma palavra de origem grega, que significa “momento certo”, “tempo oportuno”, em oposição a chronos, que traz a ideia de tempo sequencial, cronológico, quantitativo. Essas duas formas de definir, no grego, o tempo, trazem consigo um conflito épico, por assim dizer. De um lado o tempo linear, quantitativo, marcado pelos relógios e calendários — chronos —, do outro o tempo qualitativo, o momento ideal, próprio, para os fatos acontecerem — kairós. [Comentário: Na Bíblia temos duas palavras que significam tempo: Chronos e Kairós. Chronos é uma palavra grega que significa tempo sequencial, tempo cronológico. É a hora que é marcada no seu relógio, é uma data na agenda do seu Smartphone, é a data do seu aniversário, casamento. Chronos também significa espaço ou intervalo de tempo. Encontramos Chronos em textos como:
 Lucas 20.9: o dono da vinha ausentou-se do país por muito tempo
 João 5.6: o paralítico que estivera doente havia muito tempo
 Atos 8.11: Simão, o mágico, desde muito tempo iludira os samaritanos com suas artes
 Atos 13.18: Deus suportou os costumes do povo de Israel no deserto por espaço de quarenta anos.
Já Kairós significa uma ocasião especial, um tempo determinado, ou uma oportunidade. É um tempo dentro do Chronos onde acontece algo muito importante. Um momento certo dentro do Chronos.
 Atos 17.26: E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados.
 Marcos 1.15: Jesus declara que o tempo (Kairós) estava cumprido.
No meio de todo o espaço de tempo que vai passando, existem na história da humanidade como um todo, momentos específicos que Deus já predeterminou como épocas especiais, épocas de mudanças, épocas que abrem novas etapas no desenvolvimento do seu plano na terra. Este é o significado de Kairós: é um momento decisivo dentro do tempo, uma ocasião especial, em que grandes coisas podem acontecer. http://falandodecristo.blogspot.com.br/2014/12/estabelecendo-o-kairos-de-deus.html]


Pense!
Como entender um Deus que, não está sujeito a qualquer limitação, ou fragilidade, mas que decide relacionar-se com sua criação corrompida pela Queda?

Ponto Importante
A encarnação de Jesus foi uma oportunidade para que, por algum tempo, os homens pudessem ver a glória de Deus.

III. A VIDA NO TEMPO

1. Vivendo no tempo. Deus colocou a eternidade no coração do homem, no seu espírito e alma. Mas o nosso corpo é corruptível e está sujeito a ação do tempo (Sl 90.10). Talvez, por isso, seja tão difícil nos conformarmos com a morte, pois existe uma fagulha divina acesa em nosso espírito e que anela pela eternidade. [Comentário: O texto de Eclesiastes 3.11 nos revela qual o primeiro propósito de Deus para a sua criação: a eternidade; o homem anseia por ela. É do presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, a frase: “Deus certamente não teria criado um ser como o homem para existir somente por um dia! Não, não… o homem foi feito para a imortalidade.” Se a vida na terra oferece muitas opções, a eternidade nos oferece apenas duas: céu ou inferno. Seu relacionamento com Deus na terra, determinará seu relacionamento com Deus na eternidade. Se aprender a amar Jesus, o Filho de Deus, e confiar nele, você será convidado a passar o resto da eternidade com ele. Entretanto, se desprezá-lo você passará a eternidade separado de Deus. (Jo 3.18). C. S. Lewis disse: “Existem dois tipos de pessoas: as que dizem a Deus ‘Seja feita a sua vontade’ e aqueles a quem Deus diz ‘Então tudo bem, faça do seu jeito’”. Tragicamente, muitas pessoas terão de suportar a eternidade sem Deus, pois escolheram viver sem ele aqui na terra (Mt 13.50). “Aproveite a oportunidade (Amyr Klink) Já ancorado na Antártida, ouvi ruídos que pareciam de fritura. Pensei: será que até aqui existem chineses fritando pastéis? Eram cristais de água doce congelada que faziam aquele som quando entravam em contato com a água salgada. O efeito visual era belíssimo. Pensei em fotografar, mas falei para mim mesmo: Calma, você terá muito tempo para isso... Nos 365 dias que se seguiram, o fenômeno não se repetiu. Algumas oportunidades são únicas. Como diz o sábio: “só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ONTEM e o outro AMANHÔ. Portanto HOJE é o dia certo para AMAR, FAZER, VIVER e principalmente CRER”. O texto itálico entre aspas foi extraído de: http://falandodecristo.blogspot.com.br/2014/12/estabelecendo-o-kairos-de-deus.html]

2. Conhecendo o tempo. Conhecer o tempo (kairós) faz toda a diferença, como aconteceu com alguns dos filhos de Issacar, os quais eram “destros na ciência dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer” (1Cr 12.32). Eles tinham discernimento e, por isso, foram indispensáveis para a prosperidade da nação de Israel e ganharam muito destaque. [Comentário: A Bíblia fala com propriedade sobre o tempo e sua alocação para cada ato nele. É preciso estar atento a ele enquanto o calendário escorre os seus numerais. Quando Davi tornou-se rei de Israel, após a morte de Saul, cada tribo enviou-lhe guerreiros para ajudar Davi a consolidar seu reinado em Israel. Todos os homens enviados dessas tribos eram diferentes:"entendidos na ciência dos tempos para saberem o que Israel devia fazer...".Davi precisava daquele tipo de homens, pois tinham discernimento da guerra e garantiriam a tarefa de integrar o reino de Israel sob o seu reinado. Eles sabiam interpretar os tempos, eram atualizados em informação, dotados de conhecimento de causa. Nestes tempos difíceis que vivemos, urge a necessidade de um povo com essas características, pessoas que conheçam os tempos (Lc 12.54-56). Os tempos são trabalhosos, o anticristo está às portas, o arrebatamento se aproxima. Precisamos aprender a discernir entre o bem e o mal (1Co 2.11-13). Nosso Senhor Jesus Cristo censurou os escribas por não saberem discernir os sinais de Sua vinda como o Messias prometido a Israel e os tempos ordenados antes da fundação do mundo. Mesmo com todo o conhecimento que tinham das Sagradas escrituras, o véu da revelação ainda perdurava. Esta geração de filhos de Issacar era destra no assunto e tinha entendimento para interpretar e revelar o que Israel devia fazer (1Cr 12.32). http://adaliahelena.blogspot.com.br/2017/03/licao-10-geracao-dos-filhos-de-issacar.html]

3. Contando o tempo. Moisés, certa vez, orou a Deus pedindo: “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio” (Sl 90.12). O grande problema de muitas pessoas é que deixam para pensar sobre o fim da existência terrena somente quando lhes resta bem pouco tempo. Contar os dias é uma atitude de sabedoria, pois significa ter em perspectiva a iminência da morte, o que garante um melhor entendimento sobre como aproveitar os dias de vida. [Comentário: A vida é uma escola. Ela nos ensina a ser espertos, calcular riscos, a investir para receber mais e especialmente a cuidar de nós mesmos. Mas não é exatamente isso que o Salmo 90.12 recomenda. Esta peça poética de Moisés concede preciosas lições a todos os que perceberam que somos mal orientados se não buscarmos instrução do Senhor. Uma vez que o profeta foi inspirado por Deus, estamos certos de que essa orientação não pode ser encontrada em nenhuma outra escola. Isaías prometeu (e Jesus repetiu) que Deus ensinaria aos que seriamente desejassem matricular-se em Sua escola (Is 54,13; Jo 6,45). É uma oração que articula este pedido: Ensina-nos a contar nossos dias. O tempo não pára. Ele passa. Alguns se preocupam com o envelhecimento somente quando os anos já se passaram. Não ouviram a advertência do Pregador: Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias (...) (Ec 12.1). Os dias desperdiçados são justamente os que não trouxeram nenhuma lição sábia ao coração. Mesmo que a maioria dos homens despreze a instrução que vem do Criador, o fiel servo pede, insistentemente, que Deus o ensine o que tem importância eterna. Continue a leitura acessando: http://www.monergismo.com/textos/meditacoes/licoes_deus_ensina_shedd.htm]

Pense!
Como identificar o kairós, e não ficar apenas à mercê do chronos?

Ponto Importante
Se o timing perfeito existe, ele consiste em “acertar” o nosso relógio (chronos) com o relógio de Deus (kairós). Para tanto, é necessário estar em comunhão com Ele.

CONCLUSÃO
Deus, ao estabelecer que as coisas teriam um tempo oportuno (kairós) para serem realizadas, criou a possibilidade dos homens cumprirem, não o seu destino, mas o propósito para o qual foram criados. [Comentário: Deus nos deu o tempo, esse que se mostra no relógio, em uma dimensão feita especialmente para nós. Tempo para Deus está além de nossa compreensão: “Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia” (2Pd 3.8). No livro de Apocalipse, a nova Jerusalém, morada eterna dos salvos, é descrita como um lugar onde não há noite: “E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite” (Ap 21.25). Portanto, o tempo que vemos e contamos no “tica-tac” dos ponteiros, não corresponde ao tempo de Deus. Tenhamos fé e não percamos a paciência porque Deus tem o controle de absolutamente tudo, sem escapar uma aresta! “Pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança” (Rm 15.4).] Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória. Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém”. (Judas 24-25),
Francisco Barbosa
Campina Grande-PB
Junho de 2017

HORA DA REVISÃO
1. A Bíblia e a ciência discordam quanto ao universo ter uma origem? Explique.
Não! A ciência e a Bíblia concordam que o universo foi criado, que teve um início; há divergência, apenas, sobre como isso aconteceu.
2. Aponte pelo menos uma importância da existência do tempo para a criação.
Para que, no tempo, o homem pudesse conhecer e buscar a Deus.
3. Identifique três referências bíblicas que abordem a ideia da atemporalidade e/ou eternidade de Deus.
Salmos 90.4; Isaías 57.15; 2 Pedro 3.8.
4. Diferencie a ideia do tempo chronos e kairós.
O chronos fala de tempo linear, quantitativo, marcado pelos relógios e calendários. Já o kairós fala de tempo qualitativo, o momento ideal, oportuno para todas as coisas.
5. Segundo a lição, o que significa “contar o tempo”?
Contar o tempo é ter em perspectiva a iminência da morte, o que garante um melhor entendimento sobre como aproveitar os dias de vida.


SUBSÍDIO I
 “Deus não tem que se apressar no decurso do tempo deste Universo, assim como um autor não está sujeito ao tempo imaginário do romance que escreve. Deus tem uma atenção infinita para dispensar a cada um de nós. Não tem que lidar conosco em conjunto. Você está tão a sós com Deus como se fosse o único ser que Ele criou. [...] Deus, creio, não vive absolutamente numa sucessão temporal. [...] Porque Ele é a sua própria vida.
Deus está num ambiente sem sucessões temporais e que me faz ter certeza de que pode atender-me no mesmo instante em que atende aos rogos de outros, mesmo quando estes são milhões. [...] Deus não prevê os fatos, Ele os vê, e concomitantemente. Chegamos, então, à conclusão de que o meu tempo, ou o nosso tempo, não afeta aiónios [o tempo de Deus]. Isso é algo confortante. E a explicação é que Deus é extrapolante, infinito, sempiterno, imensurável; logo, só pode estar na eternidade. Mas, por ser tudo isso, o tempo também pode estar nEle, pois o tempo é finito. O finito é um ponto fixo no infinito. O finito cabe no infinito. [...] Deus não é afetado pelo tempo, mas Ele afeta o tempo. Deus enche o mundo com uma parte de sua infinitude e por meio de sua onipresença” (DANIEL, Silas. Reflexões sobre a Alma e o Tempo. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2001, p.142).
SUBSÍDIO II
 “O que Deus fazia no princípio? Não é fácil responder a essa pergunta, pois não dispomos de nenhuma informação acerca de suas atividades entre os três primeiros versículos do capítulo um de Gênesis. Todavia, permitam-me algumas conclusões, que acredito serem coerentes e razoáveis. Antes de Deus fazer a Terra, Ele criou sua própria morada.
Deus jamais faria a sua obra na eternidade, porquanto esta é um atributo exclusivamente seu (1Tm 6.16). O Criador é sempiterno; a criação, temporal. Ao contrário dos gregos que acreditavam na eternidade da matéria, os hebreus creem que tudo quanto existe no tempo, foi criado pelo Eterno (Hb 11.3). Aliás, nem a própria morada de Deus é eterna.
Sendo o tempo a duração relativa das coisas, geramos a noção de presente, passado e futuro: um período contínuo no qual se sucedem os eventos. Deus, porém, é o que é. Ele não está sujeito a qualquer sucessão de dias ou séculos. Presente, passado e futuro são-lhe a mesma coisa. Logo, somente o Eterno poderia criar o tempo.
[...] O Criador não se acha limitado quer pelo tempo, quer pelo espaço; a criação, sim. Até mesmo, os anjos não podem estar em dois lugares ao mesmo tempo” (ANDRADE, Claudionor. O Começo de Todas as Coisas. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2015, p.23).

Fonte: O texto das Lições Bíblicas Jovens, 3° trimestre de 2017 – CPAD foi copiado do site http://estudantesdabiblia.com.br/, disponível em: http://estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2017/lbj-2017-03-01.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário